Crescimento do Jiu-Jitsu feminino reflete no BJJ Stars, que iguala superlutas de homens e mulheres; lutadoras elogiam

Publicado em 14/11/2020 por: Diogo Santarém
Crescimento do Jiu-Jitsu feminino reflete no BJJ Stars, que iguala superlutas de homens e mulheres; lutadoras elogiam Thamara Ferreira e Bia Mesquita serão responsáveis por uma das superlutas femininas (Foto Dai Bueno / TATAME)

publicidade

* Marcada para este sábado (14), a quarta edição do BJJ Stars vai contar com três superlutas femininas de deixar qualquer fã de Jiu-Jitsu animado. Diferente das edições anteriores, a organização escutou o apelo do público e das lutadores, e desta vez as meninas dividem com os homens o mesmo número de superlutas. Gabi Garcia x Cláudia do Val, Anna Rodrigues x Amanda Monteiro e Bia Mesquita x Thamara Ferreira prometem um verdadeiro show, e em entrevista à TATAME, a faixa-preta Do Val, tricampeã mundial, celebrou a oportunidade, elogiando também a liderança do evento.

Para adquirir o PPV e acompanhar tudo do BJJ Stars, clique AQUI

“Acho que o ‘grito’ da comunidade feminina está cada vez maior, e sendo cada vez mais ouvido pelos eventos. Ainda existe uma diferença muito grande do masculino para o feminino, mas ela vem diminuindo nos últimos anos, e o BJJ Stars é uma das organizações que mais trabalha nesse sentido, colocando mais lutas femininas no card, premiações justas, então é muito bom ver essa valorização”, opinou Cláudia.

Idealizador e um dos responsáveis pelo BJJ Stars, Fepa Lopes destacou a ideia da organização de valorizar cada vez mais a parte feminina: “Eu sou um grande incentivador do Jiu-Jitsu feminino, desde os primeiros campeonatos que eu fiz, pagava em dinheiro as meninas. Fiz uma edição menor, só para mulheres. Sou super a favor, gosto de assistir. Uma das lutas que estou mais interessado em assistir no card é Amanda Monteiro x Anna Rodrigues. Agora, as pessoas precisam entender que isso é um negócio e a conta precisa fechar. Para isso acontecer, acho que agora é a hora da mulherada mostrar força no Jiu-Jitsu feminino. Elas pedem espaço, nós estamos dando esse espaço e queremos ver isso nas vendas de pay-per-view. Isso se concretizando, pretendemos fazer GPs femininos, dando o mesmo espaço que damos para os homens”.

Com o BJJ Stars atualmente sendo um dos principais eventos de lutas casadas do mundo, a jovem Thamara Ferreira disse estar realizando um sonho ao entrar em ação, e quer que ele se torne realidade com cada vez mais frequência. Já Amanda Monteiro comemorou poder ver mais mulheres vivendo da arte suave.

“As meninas estão ganhando cada vez mais espaço, fazendo lutas de alto nível e sempre empolgantes. Ainda não estamos satisfeitas (com o espaço), tem muita coisa para melhorar, como premiações e salários menores, mas fico feliz de ver mais e mais meninas podendo viver só do Jiu-Jitsu”, afirmou Amanda.

“O BJJ Stars sempre esteve presente nos meus objetivos. Lutei quando era faixa-roxa e isso se tornou um objetivo na faixa-preta, por ser um dos maiores eventos de luta casada do mundo. Na minha opinião, (um grande evento de lutas casadas no Brasil) era o que precisava acontecer no Jiu-Jitsu, não somente feminino, mas no geral. Esses eventos dão maior visibilidade a nós atletas e um ótimo suporte”, completou Thamara.

CARD COMPLETO:

BJJ Stars 4
São Paulo (SP)
Sábado, 14 de novembro de 2020

GP peso-médio
Leandro Lo
Isaque Bahiense
Otavio Sousa
Gustavo Batista
Matheus Diniz
Jaime Canuto
Cláudio Calasans
Luan Carvalho

Superlutas
Gabi Garcia x Cláudia Do Val
Patrick Gaudio x Devhonte Johnson
Dimitrius Souza x Rafael Lovato Jr
Bia Mesquita x Thamara Ferreira
Victor Hugo x Erich Munis
Anna Rodrigues x Amanda Monteiro

* Por Diogo Santarém

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade