Derrotado por Uriah Hall por nocaute no quarto round da luta principal do UFC Vegas 12, no último sábado (31), Anderson Silva, ao que tudo indica, fez sua última aparição no Ultimate. E isso não diz respeito somente ao desejo do lutador de se aposentar ou até mesmo buscar uma outra organização, mas também sobre os planos de Dana White, presidente da franquia. Em entrevista aos jornalistas após o término do evento, realizado em Las Vegas (EUA), o dirigente garantiu que o “Spider” não luta mais pela companhia e ainda afirmou que “cometeu um erro” ao deixar o brasileiro entrar no octógono.

“Depende de mim decidir, e ele está se aposentando (do UFC). Ele ainda tem uma luta no contrato conosco, mas fez um acordo comigo. Antes desse contrato ser assinado, ele acordou comigo que essa seria a última luta e que se aposentaria, então temos um acordo. Já dei a ele mais lutas do que eu deveria. Na verdade, eu estou me sentindo mal, não me sinto bem comigo mesmo pelas lutas que eu dei a ele. Anderson deveria ter se aposentado antes. Mas o cara é uma lenda do esporte e nessa empresa, era difícil para mim dizer ‘não’ a ele. Mas agora temos um acordo. Não gostei de vê-lo lutando hoje, fico triste ao ver o resultado. Ele enfrentou um cara que não tem absolutamente nenhuma agressividade. Se ele luta com algum desses jovens selvagens, ele estaria em problemas, apanharia muito, de verdade. Uriah Hall é um dos caras menos agressivos do UFC. E Anderson mal conseguia se levantar para dar a entrevista. Teve que fazer a entrevista sentado. Eu cometi um grande erro ao deixá-lo lutar hoje. Eu sabia que estava certo, e isso ficou provado hoje. Ele não deveria lutar nunca mais”, disparou Dana, de acordo com transcrição do site Combate.com.

Atualmente com 45 anos, Anderson Silva vinha dizendo ao longo da semana que o duelo contra Uriah Hall poderia, sim, ser o seu último no UFC. No entanto, adotou um tom de mistério ao falar sobre os próximos passos da sua carreira e chegou a afirmar que ainda tinha “lenha para queimar” ao ser questionado se pretendia continuar lutando. Dana White, por sua vez, ressaltou que a lenda do MMA não atuará mais pela organização, e chegou a falar que torce para que a família de Anderson o convença a fazer o mesmo.

“Não quero impedi-lo de fazer nada. Ele é adulto e pode fazer o que quiser, mas ele ainda tem uma luta conosco e eu não o deixarei lutar aqui (no UFC) nunca mais. Quero que ele se aposente e espero que a família dele o diga a mesma coisa quando ele chegar em casa. Estou em uma situação difícil agora, porque ele é um cara com quem eu me importo, que está na companhia há muito tempo e eu não quero sentar aqui e detoná-lo. Mas ele tem quase 46 anos de idade. A menos que você esteja tentando salvar a sua própria vida ou defender sua família, ninguém nessa idade deveria continuar lutando”, destacou o mandatário, que por fim, fez elogios à longa trajetória do ex-campeão peso-médio no Ultimate.

“Ele é um dos maiores de todos os tempos. Muitas pessoas decidiram se tornar lutadores profissionais após verem Anderson Silva lutar. Ele inspirou uma geração inteira, não só de lutadores, mas de artistas marciais. Seu nome será eterno nos livros de recordes. Ele podia fazer coisas que as outras pessoas não conseguiam. Era quase impossível tocá-lo. O que ele fez com Vitor Belfort e com Rich Franklin… Chris Leben estava invicto quando eles lutaram, e tinha um queixo de aço. Ele fez parecer que Leben não tinha queixo. Para não falar no que ele fez com Forrest Griffin. Ele estava com a costela trincada contra Chael Sonnen e o finalizou quase no fim do quinto round. Anderson fez lutas lendárias aqui quando estava no seu auge como atleta. Ele já deveria estar no Hall da Fama (do UFC). É inacreditável isso ainda não ter acontecido”, concluiu Dana White.

RESULTADOS COMPLETOS:

UFC Fight Night 181
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 31 de outubro de 2020

Card principal
Uriah Hall derrotou Anderson Silva por nocaute técnico no 4R
Bryce Mitchell derrotou Andre Fili por decisão unânime dos jurados
Kevin Holland derrotou Charlie Ontiveros por desistência verbal no 1R
Greg Hardy derrotou Maurice Greene por nocaute técnico no 2R
Thiago Moisés derrotou Bobby Green por decisão unânime dos jurados

Card preliminar
Alexander Hernandez derrotou Chris Gruetzemacher por nocaute técnico no 1R
Adrian Yanez derrotou Victor Rodriguez por nocaute no 1R
Sean Strickland derrotou Jack Marshman por decisão unânime dos jurados
Jason Witt finalizou Cole Williams com um katagatame no 2R
Dustin Jacoby derrotou Justin Ledet por nocaute técnico no 1R
Miles Johns derrotou Kevin Natividad por nocaute no 3R