* Embalada com duas vitórias seguidas e na quarta posição do ranking peso-palha, Claudinha Gadelha estará em ação no UFC Vegas 13 contra Xiaonan Yan. O evento será disputado neste sábado (7), nas instalações do Ultimate. A brasileira, se vencer, pode ficar muito perto de voltar a disputar o título da categoria, o que não acontece desde 2016, quando foi batida por Joanna Jędrzejczyk.

Para receber o title shot contra a campeã Zhang Weili, a potiguar vai precisar vencer o desafio deste fim de semana. À TATAME, Claudinha fez uma projeção do combate e revelou que já treinou com Xiaonan.

“Ela é agressiva, vai pra cima o tempo inteiro. Tecnicamente é uma striker muito boa. atlética, tem um bom porte físico e é forte. Acredito que ela venha com essa agressividade para cima de mim, para vencer a luta rápido. Estou preparada, com um jogo redondinho em pé e no chão. Nós já até treinamos juntas uma vez aqui em Vegas, mas foi muito rápido. Quando ela está nos Estados Unidos, vai para a mesma academia que eu. Não deu para ver muita coisa. Eu me sinto mais completa que ela”, analisou a faixa-preta de Jiu-Jitsu.

A brasileira comentou sobre o camp realizado em Nova Jersey (EUA), a evolução que teve nos últimos anos e a incerteza de treinar, sem saber se a luta vai acontecer por conta da pandemia do novo coronavírus.

Confira outros trechos da entrevista com Claudinha Gedelha:

– Preparação para o combate no UFC Vegas 13

O camp continua a mesma coisa. Eu moro em Las Vegas, mas estou indo para Nova Jersey fazer com camp com o Ricardo Almeida. Tem quase dois anos que estou treinando com ele. Demora um tempo para o atleta absorver a filosofia dos treinos, apesar de eu ter me dado super bem com ele. Mas agora estamos melhores.

– Chance de disputar o cinturão dos palhas

Acho que sim (merece disputar o cinturão). Sou pioneira do esporte, estou há mais dez anos lutando. Fui uma das primeiras lutadoras a fazer luta no peso palha. Tive algumas derrotas recentes, mas estou dando a volta por cima. Agora, sou a número quatro do ranking. Sou outra lutadora, totalmente diferente (desde quando lutou pelo título contra a Joanna, em 2016). Tenho muito mais experiência. Eu sempre foquei na parte de nutrição e preparação física. Sou muito forte para a categoria e dei continuidade nisso. Venho fazendo um bom trabalho mental também. Tecnicamente me considero muito mais preparada hoje.

– Incertezas com a pandemia do novo coronavírus

Essa incerteza é complicada. Nós treinamos bastante. Eu, por exemplo, viajo para o outro lado do país (Estados Unidos). É complicado sair de casa para passar oito semanas treinando e estou aqui pronta para lutar, mas ainda preciso saber se todo mundo vai passar no teste de Covid-19. Não ter certeza se a luta vai acontecer é meio chato, mas temos que aprender a lidar com isso e está todo mundo passado por dificuldades por causa da Covid. Todo mundo sofrendo, então me concentro apenas em ganhar a luta.

CARD COMPLETO:

UFC on ESPN 17
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 7 de novembro de 2020

Card principal (0h, horário de Brasília)
Peso-meio-pesado: Thiago Marreta x Glover Teixeira
Peso-pesado: Andrei Arlovski x Tanner Boser
Peso-galo: Raoni Barcelos x Khalid Taha
Peso-médio: Ian Heinisch x Brendan Allen
Peso-palha: Cláudia Gadelha x Yan Xiaonan

Card preliminar (21h, horário de Brasília)
Peso-médio: Trevin Giles x Bevon Lewis
Peso-pena: Giga Chikadze x Jamey Simmons
Peso-pesado: Alexandr Romanov x Marcos Pezão
Peso-pena: Darren Elkins x Luiz Eduardo Garagorri
Peso-meio-médio: Max Griffin x Ramiz Brahimaj
Peso-galo: Gustavo Lopez x Anthony Birchak

* Por Yago Rédua