Marreta analisa luta contra Glover no UFC Vegas 13 e opina sobre Israel Adesanya disputando título: ‘Injusto, mas faz parte’

* Sem lutar há mais de um ano, mais precisamente desde julho de 2019, quando foi derrotado por Jon Jones no UFC 239, Thiago Marreta está pronto para, enfim, fazer seu retorno ao octógono. Neste sábado (7), o brasileiro terá pela frente o compatriota Glover Teixeira na luta principal do UFC Vegas 13, que vai acontecer em Las Vegas (EUA). O duelo, que vai envolver o atual primeiro colocado no ranking meio-pesado (Marreta) diante do terceiro (Glover), poderia definir o próximo desafiante da categoria, que atualmente tem Jan Blachowicz como campeão.

No entanto, no último final de semana, Dana White, presidente do Ultimate, tratou de frustrar os planos dos brasileiros ao anunciar que Israel Adesanya, atual campeão peso-médio, vai subir aos meio-pesados para desafiar Blachowicz em uma disputa de cinturão que ainda não tem data e local definidos. Em conversa com a TATAME, Marreta foi questionado sobre o fato do nigeriano chegar à divisão até 93kg sem ao menos ter feito um combate na classe de peso. Apesar de ressaltar que não considera uma decisão justa por parte da franquia, o lutador da Cidade de Deus (RJ) afirmou que “entende” o lado dos dirigentes do UFC.

“Se eu disser que acho justo (fato de Adesanya chegar aos meio-pesados já em disputa de cinturão), vou estar mentindo, mas de certa forma eu entendo o lado deles (UFC). É questão de ‘business’, casar uma luta entre campeões, então temos que aceitar e fazer nossa parte. Estou focado inteiramente nessa luta contra o Glover Teixeira e, vencendo, a gente vê qual vai ser o próximo passo. O UFC tem as decisões que consideram certas, nosso papel é aceitar e fazer nossa parte dentro do octógono. Tenho muita confiança de que vou disputar o cinturão novamente em breve, se Deus quiser”, disse o atleta, atualmente com 36 anos.

Ao longo do bate-papo, Thiago Marreta falou também do longo período afastado do octógono, onde se recuperou de lesões graves no joelho sofridas na luta contra Jon Jones, analisou o combate diante de Glover Teixeira, o que procurou evoluir e aperfeiçoar no período sem duelos oficiais, entre outros assuntos.

Confira outros trechos da entrevista com Marreta:

– Recuperação das lesões e longo período (16 meses) sem lutar

Foram tempos bem difíceis, isso é inegável. Após passar pela cirurgia e o longo tempo de recuperação, a principal dificuldade, com certeza, foi recuperar a parte física, até porque passei muito tempo sem treinar, até mesmo sem poder apoiar minha perna no chão. Então, quando voltei aos treinos de forma leve, tive que me readaptar e confesso que foi bem difícil voltar ao ritmo de treino, a questão física é muito importante para qualquer atleta. Tem também a questão psicológica, né? O tempo que fiquei sem treinar, sem lutar, até mesmo readquirir confiança para treinar em alto nível novamente, dar chutes. Foi difícil, mas superamos esses momentos difíceis e agora é seguir em frente em busca dos próximos desafios, e claro, do cinturão.

– Projeção para o desenrolar da luta contra o Glover Teixeira

Somos dois lutadores que procuram a luta em pé, temos bons nocautes, então a tendência é que a luta se desenrole na trocação, mas é claro que a luta também pode ir para o chão, o Glover é um cara com ótimas finalizações no cartel, um atleta com uma técnica muito grande no chão, e eu também. Por mais que minha especialidade seja a trocação, também considero que tenho um bom Wrestling e um bom nível na luta agarrada. Tem tudo para ser um ótimo confronto e posso dizer que estou pronto para qualquer área.

– Preparação e plano para mostrar seu jogo de chão se necessário

Não tive muita oportunidade de mostrar meu jogo de chão, até porque meu carro-chefe é a trocação, mas na luta contra o Kevin Holland (em 2018), eu lembro que estava cansado, vinha de dois cortes de peso complicados, então usei meu jogo de Wrestling para vencer por decisão unânime. Desde então, considero que evoluí bastante, tem muito atleta bom de Jiu-Jitsu e Wrestling aqui na equipe American Top Team.

CARD COMPLETO:

UFC on ESPN 17
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 7 de novembro de 2020

Card principal (0h, horário de Brasília)
Peso-meio-pesado: Thiago Marreta x Glover Teixeira
Peso-pesado: Andrei Arlovski x Tanner Boser
Peso-galo: Raoni Barcelos x Khalid Taha
Peso-médio: Ian Heinisch x Brendan Allen
Peso-palha: Cláudia Gadelha x Yan Xiaonan

Card preliminar (21h, horário de Brasília)
Peso-médio: Trevin Giles x Bevon Lewis
Peso-pena: Giga Chikadze x Jamey Simmons
Peso-pesado: Alexandr Romanov x Marcos Pezão
Peso-pena: Darren Elkins x Luiz Eduardo Garagorri
Peso-meio-médio: Max Griffin x Ramiz Brahimaj
Peso-galo: Gustavo Lopez x Anthony Birchak

* Por Mateus Machado