Vindo de duas vitórias consecutivas no UFC, a mais recente no dia 24 de outubro, quando derrotou Jared Cannonier por decisão unânime, o ex-campeão Robert Whittaker voltou a ganhar destaque na categoria peso médio e, logo após seu último triunfo, era esperado que o australiano recebesse a chance de fazer a revanche contra Israel Adesanya, atual detentor do título da divisão. No entanto, no sábado (31), depois da realização do UFC Vegas 12, Dana White, presidente do Ultimate, confirmou que Adesanya vai fazer sua próxima luta nos meio-pesados, em disputa pelo cinturão até 93kg contra o campeão Jan Blachowicz.

Mesmo ciente de que vai precisar aguardar seu algoz enfrentar Blachowicz e ainda ter um “sinal verde” do Ultimate para que a revanche contra Adesanya ocorra na sequência, Whittaker mostrou aparente tranquilidade em esperar por uma nova disputa de cinturão. Em entrevista à ESPN, o lutador, atualmente com 29 anos, ressaltou que precisa ter mais uma oportunidade de enfrentar o último atleta que o derrotou.

“Ele (Israel Adesanya) é o único cara com quem quero lutar, porque perdi para ele e não gosto de perder para as pessoas. É a luta que faz sentido. Eu sei que (Adesanya) não quer, mas eu quero e acho que vai ser divertido. Acho que ele é um quebra-cabeça, eu quero resolver e tentar vencer. Não sei como vou fazer isso, porque ele é muito bom, e pode ser que repita o que aconteceu da última vez, mas quero tentar”, disse.

A declaração do ex-campeão peso-médio frustra os planos de Paulo Borrachinha dentro da organização. O brasileiro, que perdeu justamente para Israel Adesanya em sua última luta, fez elogios ao desempenho de Whittaker no duelo contra Jared Cannonier e, através das redes sociais, havia desafiado o rival australiano.