Com uma trajetória longa, vitoriosa e repleta de lutas memoráveis no MMA, Anderson Silva está com 45 anos e, no atual estágio de sua carreira, é normal que o brasileiro enfrente atletas que sempre o viram como um “espelho” e grande inspiração antes mesmo de iniciarem carreira nas artes marciais. Foi o caso de Uriah Hall, que encarou o “Spider” no último sábado (31), na luta principal do UFC Vegas 12, e saiu vencedor por nocaute técnico no quarto round – emplacando seu terceiro triunfo consecutivo na organização.

Imediatamente após vencer Anderson, Hall se direcionou ao ex-campeão peso-médio e pediu desculpas por nocauteá-lo, protagonizando uma cena emocionante e até mesmo incomum. Em entrevista aos jornalistas depois do duelo, o jamaicano explicou sua decisão e disse ter ficado bastante emocionado apesar do triunfo.

“Eu me senti mal, cara. Me senti realmente mal. Digo, na construção da luta havia muitas emoções, e nós sabemos que Anderson Silva é um dos gênios pelo que ele fez pelo esporte. Um cara que me inspirou quando eu era criança, até quando eu tinha 22 anos. Foi difícil de separar essas emoções, lutar contra meu ídolo e bater nele. Então, as emoções só saíram. Mesmo hoje (dia da luta), quando eu acordei, estava pensando: ‘como vou lidar com isso?’. Então, sim, eu pedi desculpas a ele”, relatou o atleta de 36 anos.

Uriah também comentou sobre as dificuldades que passou durante o combate, tendo em vista que, pelo menos até o terceiro round, quando recebeu um forte golpe e foi a knockdown pela primeira vez, Anderson vinha mantendo certo controle da luta. O “Homem Ambulância” revelou que adotou estilo mais cauteloso.

“O que faz ser difícil enfrentar o Anderson é a criatividade dele. Ele é muito criativo. É fácil se perder, vimos isso acontecer várias vezes na carreira dele. Era muito arriscado partir pra cima, e meus treinadores me falavam sempre para manter as coisas simples. Foi um pouco estranho no começo, eu estava tentando entendê-lo, eu sabia que ele tinha algum plano, estava tentando desvendá-lo. Mas sua distância estava boa e então eu percebi: ‘uau, talvez eu não consiga encostar nele’, e achei que deveria ser no contra-ataque. Mas ele estava com a distância boa, continuou se mexendo para a direita e eu não queria me apressar e cair nessa, porque sabia que era uma armadilha e ele é muito bom nisso”, concluiu o lutador jamaicano.

RESULTADOS COMPLETOS:

UFC Fight Night 181
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 31 de outubro de 2020

Card principal
Uriah Hall derrotou Anderson Silva por nocaute técnico no 4R
Bryce Mitchell derrotou Andre Fili por decisão unânime dos jurados
Kevin Holland derrotou Charlie Ontiveros por desistência verbal no 1R
Greg Hardy derrotou Maurice Greene por nocaute técnico no 2R
Thiago Moisés derrotou Bobby Green por decisão unânime dos jurados

Card preliminar
Alexander Hernandez derrotou Chris Gruetzemacher por nocaute técnico no 1R
Adrian Yanez derrotou Victor Rodriguez por nocaute no 1R
Sean Strickland derrotou Jack Marshman por decisão unânime dos jurados
Jason Witt finalizou Cole Williams com um katagatame no 2R
Dustin Jacoby derrotou Justin Ledet por nocaute técnico no 1R
Miles Johns derrotou Kevin Natividad por nocaute no 3R