Após amargar derrotas para Marlon Moraes e Petr Yan, José Aldo, enfim, conquistou sua primeira vitória na categoria peso-galo. No último sábado (19), no co-main event do UFC Vegas 17, o brasileiro teve boa atuação e superou Marlon Vera na decisão unânime dos jurados, resultado que o mantém entre os principais nomes da divisão e faz com que o atleta da Nova União – que já disputou o cinturão dos 61kg, sendo derrotado por Yan, em julho -, siga com boas perspectivas de receber uma nova oportunidade de lutar novamente pelo título.

Prova da importância do bom resultado obtido pelo ex-campeão peso-pena do Ultimate se refletiu em sua entrevista logo após o combate. Aldo, que ainda no octógono havia desafiado TJ Dillashaw – sem lutar desde janeiro de 2019 por conta de uma suspensão aplicada pela USADA -, citou o nome de outros ex-campeões dos galos caso o americano não esteja à disposição para enfrentá-lo no primeiro semestre de 2021. Vale ressaltar que a punição de TJ termina em fevereiro e o atleta está, atualmente, com 34 anos.

“Acho que a categoria (peso-galo) tem novos nomes surgindo. Tem o TJ Dillashaw, o Dominick Cruz, o Frankie Edgar, que tem luta com o Cory Sandhagen… Se não for ele (TJ Dillashaw), pode ser o Dominick também, pode ser qualquer um. A gente tem que dar uma movimentada, chamar a atenção para a nossa categoria. Ou até mesmo o próprio (Henry) Cejudo. Se ele voltar, a gente está disposto a fazer essa luta”, projetou o manauara, que ainda expôs a boa relação com o campeão Petr Yan.

“Acho que a categoria peso-galo vai dar uma movimentada. O Petr (Yan) é um moleque tranquilo, conheço ele e torço por ele. Se conseguir manter o cinturão, fico feliz. Mas novos desafios vão vir, terão novos atletas”, concluiu.