* Aos 31 anos, o peso-médio Antônio Arroyo estreou pelo UFC em novembro do ano passado, quando perdeu por decisão unânime para André Sergipano. Desde então, o brasileiro não vê a hora de retornar ao octógono e “apagar” o resultado negativo. Após alguns percalços, Arroyo finalmente terá essa oportunidade neste sábado (19), quando vai enfrentar Deron Winn pelo UFC Vegas 17, nos Estados Unidos.

Durante o período de pouco mais de um ano, Antônio teve duas lutas canceladas. A primeira delas em fevereiro, quando iria encarar Trevin Giles. Depois, foi escalado para duelar contra Eryk Anders em novembro, em confronto que também não aconteceu. Em entrevista à TATAME, o brasileiro comentou sobre o cancelamento do seu último combate, no dia da pesagem, e os aprendizados após o revés para Sergipano.

“Eu estava no hotel, me reidratando após a pesagem, mas não demorou muito e o meu empresário mandou uma mensagem dizendo que o Eryk Anders tinha saído da luta, que ele tinha passado mal na pesagem. O engraçado é que vi ele no dia e parecia bem, normal, sem estar tão sofrido no corte de peso. Foi bem frustrante saber que eu não ia mais lutar, mas é seguir adiante”, disse, relembrando ainda sua estreia.

“Serviu de aprendizado (o revés). Apesar de ser uma derrota, foi por pontos, não um nocaute ou uma finalização, então eu provei muita coisa pra mim mesmo naquela luta. E depois eu tive dois combates desmarcados, um contra o Trevin Giles, em Houston, quando eu passei mal, e agora da última vez que o Anders passou mal, em Las Vegas”, completou o brasileiro.

Dono de um cartel profissional com nove vitórias e três derrotas, Arroyo chegou ao Ultimate após se destacar no Contender Series. E apesar dos problemas recentes, o peso-médio segue paciente e positivo de que a sua hora vai chegar. “Estou há mais de um ano sem lutar, veio a pandemia, tudo, foi um ano complicado para todo mundo, mas me mantive ativo na medida do possível, fazendo meus camps e com o pensamento positivo. Pedindo auxílio a Deus para seguir no foco, na direção, pois eu batalhei muito para chegar até aqui. Tive alguns problemas, mas tenho certeza que a minha hora vai chegar”, afirmou.

“Os fãs estão sempre me mandando mensagem, apoiando, perguntando quando eu volto a lutar, são muitas (mensagens) e eu adoro o carinho dos fãs. Tento responder eu mesmo, com palavras sinceras, não apenas curtindo. E principalmente quero agradecer pelo carinho deles. Estamos nós dois (eu e os fãs) ansiosos para essa volta. Eles podem esperar um Arroyo com técnicas novas, com mais desenvoltura principalmente na parte de Boxe, no Jiu-Jitsu, e com a certeza de que aprendi com minhas falhas, transformando elas em trunfos”, finalizou o lutador, citando a importância dos fãs.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 183
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 19 de dezembro de 2020

Card principal (21h, horário de Brasília)
Peso-meio-médio: Stephen Thompson x Geoff Neal
Peso-galo: José Aldo x Marlon Vera
Peso-meio-médio: Michel Pereira x Khaos Williams
Peso-galo: Marlon Moraes x Rob Font
Peso-pesado: Marcin Tybura x Greg Hardy

Card preliminar (18h, horário de Brasília)
Peso-meio-médio: Anthony Pettis x Alex Morono
Peso-galo: Sijara Eubanks x Pannie Kianzad
Peso-casado (até 88,5kg): Deron Winn x Antônio Arroyo
Peso-mosca: Gillian Robertson x Taila Santos
Peso-galo: Aiemann Zahabi x Drako Rodriguez
Peso-médio: Tafon Nchukwi x Jamie Pickett
Peso-mosca: Jimmy Flick x Cody Durden
Peso-casado (até 72,5kg): Christos Giagos x Carlton Minus

* Por Diogo Santarém