Em um ano marcado pela pandemia de Covid-19, o UFC foi “pioneiro” e, em meio às dificuldades causadas pela crise sanitária mundial, paralisou seus eventos em março, mas foi a primeira grande organização entre diversas modalidades esportivas a retomar suas atividades, ainda no mês de maio. Promovendo uma logística segura aos atletas e demais envolvidos, a companhia passou a realizar as edições em sua moderna estrutura, localizada em Las Vegas (EUA), incluindo também uma série de eventos em uma grandiosa ilha que foi reservada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Com o sentimento de “dever cumprido” e a esperança de que, em 2021, já seja possível organizar eventos com presença de público, o Ultimate promove neste sábado (19) seu último card no ano de 2020. Na luta principal do UFC Vegas 17, pela categoria meio-médio, Stephen Thompson e Geoff Neal medem forças visando lugares ainda melhores no ranking da divisão. Ao todo, serão cinco brasileiros em ação, com destaque para José Aldo, ex-campeão peso-pena da franquia, que terá o equatoriano Marlon Vera pela frente. Além dele, Michel Pereira, Marlon Moraes, Taila Santos e Antônio Arroyo representam o país.

Thompson e Neal lideram último card do ano

O main event deste sábado vai promover um duelo de especialistas na luta em pé que deve mexer com o ranking da divisão meio-médio. De um lado do octógono, estará o americano Stephen Thompson (15-4-1), ex-desafiante ao cinturão e atual quinto colocado do ranking. Sem lutar há mais de um ano, Thompson venceu Vicente Luque por decisão unânime na sua última aparição, em novembro de 2019.

Algumas posições abaixo, em 11º lugar, Geoff Neal (13-2-0) está invicto no Ultimate. Contratado depois de participar da primeira temporada do reality show Dana White’s Contender Series, o americano venceu as cinco lutas que disputou na organização. Assim como seu adversário, Neal não entra no octógono há mais de um ano. Na última vez, em dezembro de 2019, nocauteou Mike Perry.

Em busca de reabilitação, Aldo encara Vera

José Aldo (28-7-0) será uma das principais atrações do evento em Las Vegas. Campeão peso-pena entre 2010 e 2015, com 17 defesas bem sucedidas, o “Rei do Rio” faz neste sábado a 36ª luta da sua carreira e a terceira pela divisão peso galo. Aldo estreou na categoria em dezembro do ano passado, quando sofreu um revés por decisão dividida para o também brasileiro Marlon Moraes. Depois, teve a oportunidade de conquistar o cinturão vago da classe de peso, mas acabou sendo superado pelo atual campeão Petr Yan. Um dos maiores atletas de MMA de todos os tempos, Aldo já garantiu que o peso galo é onde deve permanecer para a sequência da carreira e que, nesse momento, seu único foco é vencer o equatoriano Marlon Vera (16-6-1).

Considerado uma promessa da divisão, Vera participou do The Ultimate Fighter Latam e venceu seis das últimas sete lutas. Em agosto, surpreendeu muita gente ao nocautear Sean O’Malley no primeiro round. Um triunfo no UFC Vegas 17 pode garantir um lugar no Top 10 do peso galo. Já Aldo, além de reconquistar o caminho das vitórias, pode se tornar o primeiro lutador a nocautear ou finalizar Marlon Vera.

‘Paraense Voador’ pega americano embalado

Mais um favorito dos fãs brasileiros estará em ação em Las Vegas. Tido como um dos atletas mais imprevisíveis do Ultimate por conta do seu estilo de luta acrobático, Michel Pereira (24-11-0, 2NC) volta ao octógono. Depois de somar uma vitória e duas derrotas na companhia, o “Paraense Voador” impressionou com a sua última performance, ao finalizar o russo Zelim Imadaev em setembro.

Seu adversário, o americano Khaos Williams (11-1-0), é considerado um novato, tanto na organização quanto no MMA, já que só se tornou profissional do esporte em 2017. O peso-meio-médio de 26 anos estreou na organização este ano e já soma duas vitórias – ambas por nocaute no primeiro round, em 27 e 30 segundos, respectivamente.

Mais três atletas brasileiros entram em ação

Completando o time de brasileiros no último evento do UFC no ano, mais três atletas entram em ação. O friburguense Marlon Moraes (23-7-1), terceiro entre os galos, retorna depois de ser superado por Cory Sandhagen há cerca de dois meses. O representante da equipe American Top Team terá pela frente o americano Rob Font (17-4-0), 11º da divisão.

Depois de ter sua luta contra Montana De La Rosa cancelada de última hora por conta de um teste positivo de Covid-19, a peso-mosca Taila Santos (16-1-0) vai ter uma nova chance de lutar. A catarinense, contratada após participar da versão brasileira do Contender Series, vem de uma grande vitória sobre a inglesa Molly McCann, em julho. Se vencer neste sábado, a brasileira pode entrar no tão sonhado ranking peso-mosca feminino do Ultimate. Isso porque sua oponente, a canadense Gillian Robertson (9-4-0), é a atual 13ª colocada da categoria.

O paraense Antônio Arroyo (9-3-0) é outro atleta que sofreu alguns imprevistos nos últimos meses que acabaram o impedindo de lutar. Em busca da sua primeira vitória no UFC, o peso-médio – contratado depois de participar da terceira temporada do Dana White’s Contender Series – enfrenta o americano Deron Winn (6-2-0), que vem de duas derrotas. Ambos buscam a recuperação na companhia.

RESULTADOS COMPLETOS:

UFC Fight Night 183
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 19 de dezembro de 2020

Card principal 
Stephen Thompson derrotou Geoff Neal por decisão unânime dos jurados
José Aldo derrotou Marlon Vera por decisão unânime dos jurados
Michel Pereira derrotou Khaos Williams por decisão unânime dos jurados
Rob Font derrotou Marlon Moraes por nocaute técnico no 1R
Marcin Tybura derrotou Greg Hardy por nocaute técnico no 2R

Card preliminar
Anthony Pettis derrotou Alex Morono por decisão unânime dos jurados
Pannie Kianzad derrotou Sijara Eubanks por decisão unânime dos jurados
Deron Winn derrotou Antônio Arroyo por decisão unânime dos jurados
Taila Santos derrotou Gillian Robertson por decisão unânime dos jurados
Tafon Nchukwi derrotou Jamie Pickett por decisão unânime dos jurados
Jimmy Flick finalizou Cody Durden com um estrangulamento do triângulo no 1R
Christos Giagos derrotou Carlton Minus por decisão unânime dos jurados