O cinturão peso-mosca do Ultimate segue no Brasil. Fazendo a luta principal do UFC 256, neste sábado (12), em Las Vegas (EUA), Deiveson Figueiredo teve o desafio mais complexo da sua trajetória na organização até o momento, num confronto que pode ser considerado o melhor do ano de 2020 na organização. Diante de um inspirado Brandon Moreno, o brasileiro fez uma luta de cinco rounds que contou com muito equilíbrio e ação por parte de ambos. No fim, os árbitros decidiram pelo empate majoritário e o paraense manteve o cinturão em sua posse.

Isso significa um recorde batido pelo “Deus da Guerra”, que agora é o campeão do UFC a defender seu título com sucesso no menor intervalo de tempo, em apenas 21 dias – já que, há três semanas, derrotou Alex Perez no UFC 255. Dessa forma, Deiveson supera a marca que era de Ronda Rousey (56 dias). No co-main event da noite, com uma atuação dominante do início ao fim, tanto em pé quanto na luta agarrada, Charles do Bronx venceu Tony Ferguson na decisão unânime dos jurados, conquistou sua oitava vitória consecutiva e se aproximou ainda mais de uma disputa de cinturão na categoria peso-leve.

Outros brasileiros estiveram em ação na edição e, em duelo repleto de ação na luta em pé, Mackenzie Dern superou Virna Jandiroba por unanimidade, seguindo em clara ascensão na divisão peso-palha. Antes disso, Ronaldo Jacaré, Junior Cigano e Renato Moicano foram completamente dominados e nocauteados por Kevin Holland, Ciryl Gané e Rafael Fiziev, respectivamente.

Deiveson x Moreno termina em empate e brasileiro mantém título

Deiveson Figueiredo encurtou a distância sobre Brandon Moreno logo nos primeiros segundos para trabalhar sua trocação. Os dois lutadores chegaram a ir para o solo num breve momento, mas o duelo voltou a ficar em pé e o brasileiro, com a guarda baixa e a esquiva em dia, acertou um bom gancho de esquerda, seguido de um jab de direita. Na reta final, o brasileiro cresceu de produção e terminou o primeiro round com superioridade. O paraense apostou nos chutes no início do segundo assalto, enquanto o mexicano foi respondendo com bons socos na média distância. Moreno, então, aplicou uma queda, mas Figueiredo levantou rapidamente e partiu novamente para a trocação, onde conseguiu nova sequência de golpes e balançou o desafiante, que voltou a levar o campeão para baixo antes do término da parcial.

Os dois lutadores seguiram bem ativos na trocação, aplicando golpes potentes e precisos, com leve vantagem para o brasileiro. Deiveson, entretanto, perdeu um ponto após aplicar um chute que pegou nas partes genitais de Brandon. Na volta do embate, o campeão levou a luta ao solo, mas não sustentou a posição. No quarto round, campeão e desafiante vinham fazendo um duelo de alto nível em pé, mas o mexicano derrubou Figueiredo, que mostrou técnica para sair da posição, mas viu o mexicano conectar ótimos golpes, seguido de mais uma queda.

Na última parcial, os atletas fizeram uma luta mais estudada, com poucos momentos de efetividade. Nos últimos segundos, porém, o “Deus da Guerra” conseguiu uma queda importante, que o levou a vencer o assalto. Após cinco rounds de um confronto de muita ação e equilíbrio, os árbitros decidiram pelo empate majoritário. Com isso, Deiveson Figueiredo mantém o cinturão em sua posse e o defende com sucesso pela segunda vez.

Do Bronx derrota Ferguson e se aproxima do title shot

Como já era esperado, Charles do Bronx e Tony Ferguson começaram o duelo de maneira muito ativa, com golpes precisos aplicados por ambos. O brasileiro mostrou boa estratégia e, na sequência, colocou a luta no chão, conseguindo a montada sem maiores dificuldades. Do Bronx soltou o peso do corpo, estabilizou a posição e acertou ótimos golpes no ground and pound. Nos segundos finais, Charles aplicou um belo armlock, mas Ferguson foi salvo pelo soar do gongo. No segundo round, o paulista seguiu superior e não demorou a levar o confronto para o solo. “El Cucuy” aplicou uma pedalada ilegal, mas a luta voltou na mesma posição e, dessa forma, o atleta da Chute Boxe aumentou o ritmo dos socos e cotoveladas por cima, mostrando um claro domínio e controle das ações em mais uma parcial.

No último assalto, Charles do Bronx deu mais um show e, com muita facilidade, voltou a derrubar Tony Ferguson. Dando um show de técnica, o brasileiro conseguiu de novo a montada e, com uma bela transição, tentou finalizar no triângulo, bem defendido pelo americano. Nos últimos minutos, ciente da sua vantagem, Do Bronx administrou o combate e, após três rounds, saiu vencedor por decisão unânime, conquistando seu oitavo triunfo seguido e se aproximando, de vez, de uma disputa de cinturão na divisão dos leves.

Mackenzie supera Virna e emplaca terceira vitória

Mackenzie Dern iniciou o confronto com uma boa sequência de golpes, que foram bem absorvidos por Virna Jandiroba. As duas lutadoras seguiram na trocação franca, com a americana naturalizada brasileira apostando em boas combinações de socos na curta distância, enquanto a baiana aplicava bons golpes de direita. Superior no primeiro round, Mackenzie seguiu mais ativa na luta em pé, mas ao mesmo tempo, via Jandiroba bem resistente e mostrando boa movimentação. Na metade final da parcial, Dern apresentou um sangramento abundante no nariz após receber uma joelhada de encontro e o combate foi para o solo, com Virna por cima, mas sem conectar golpes efetivos.

No terceiro e último round, Mackenzie Dern tentou logo nos primeiros segundos levar a luta para baixo, mas a baiana defendeu com eficiência. Com a luta novamente na trocação, a multicampeã no Jiu-Jitsu aplicou uma boa sequência de golpes e, enfim, levou a luta para o solo, mas viu Jandiroba ficar por cima mais uma vez. Nos segundos finais, o embate voltou a ficar em pé e ambas fizeram uma luta travada, que terminou com a baiana buscando a finalização na omoplata, sem sucesso. No fim, os árbitros decretaram a vitória de Mackenzie por decisão unânime. Dern soma sua terceira vitória em sequência e, certamente, vai subir degraus importantes na categoria peso-palha.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por ufc (@ufc)

Holland vence Jacaré de forma impressionante

Sem perder tempo, Ronaldo Jacaré já levou a luta para o chão logo nos primeiros segundos. Kevin Holland agiu rápido e, mesmo por baixo, aplicou uma série de cotoveladas e uma tentativa de triângulo, o que evitou qualquer possibilidade de finalização do brasileiro. O combate voltou a ficar em pé, mas em seguida Jacaré levou o duelo para o solo novamente. Por cima, o faixa-preta de Jiu-Jitsu deu brechas e levou dois potentes golpes de direita, que abriram caminho para uma sequência brutal e impressionante de golpes do americano, saindo vencedor por nocaute ainda no primeiro round. O resultado comprova a grande fase de Holland, que emplacou a quinta vitória consecutiva, enquanto Jacaré amarga o terceiro revés seguido.

Cigano é nocauteado e perde a quarta consecutiva no UFC

Ciryl Gané tentou partir para a luta agarrada desde nos primeiros minutos, mas Junior Cigano frustrou as ações e colocou o duelo na trocação, onde os lutadores trocaram alguns golpes, no entanto, sem maior efetividade, apesar de um bom momento do brasileiro na reta final do primeiro round.

O francês continuou apostando nos chutes no segundo assalto, enquanto Cigano respondia com golpes de direita. Já na metade final da parcial, Gané aplicou um jab de direita que desnorteou o ex-campeão, seguida de uma cotovelada – que posteriormente, gerou reclamação do brasileiro, alegando golpe ilegal. Junior Cigano foi ao chão e, dessa forma, o árbitro se viu forçado a interromper o confronto após mais dois golpes do francês no ground and pound. Com isso, Ciryl Gané saiu vencedor por nocaute técnico e segue invicto no MMA, agora com sete vitórias, sendo quatro pelo Ultimate.

Moicano é nocauteado em interrupção polêmica

Renato Moicano e Rafael Fiziev apostaram nos chutes baixos no início da luta, mas logo partiram para a trocação franca, com Fiziev buscando mais os “low kicks” e Moicano aplicando golpes na média distância. Já na reta final do primeiro round, o quirguistanês aplicou uma sequência brutal de golpes, que levou o brasileiro a knockdown. Quando Rafael partiria para aplicar mais socos no solo e, talvez, definir o combate, o árbitro central resolveu interromper o combate, o que gerou polêmica por uma possível interrupção precipitada. Com isso, Fiziev foi decretado vencedor por nocaute técnico e emplacou sua terceira vitória consecutiva na organização.

RESULTADOS COMPLETOS:

UFC 256
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 12 de dezembro de 2020

Card principal
Deiveson Figueiredo x Brandon Moreno terminou em empate majoritário
Charles do Bronx derrotou Tony Ferguson por decisão unânime dos jurados
Mackenzie Dern derrotou Virna Jandiroba por decisão unânime dos jurados
Kevin Holland derrotou Ronaldo Jacaré por nocaute técnico no 1R
Ciryl Gané derrotou Junior Cigano por nocaute técnico no 2R

Card preliminar
Cub Swanson derrotou Daniel Pineda por nocaute no 2R
Rafael Fiziev derrotou Renato Moicano por nocaute técnico no 1R
Gavin Tucker derrotou Billy Quarantillo por decisão unânime dos jurados
Tecia Torres derrotou Sam Hughes por nocaute técnico (interrupção médica) no 1R
Chase Hooper finalizou Peter Barrett com uma chave de calcanhar no 3R