* Depois de estrear na categoria peso-leve com uma vitória relâmpago – em apenas 44 segundos – ao finalizar Damir Hadzovic no card do UFC Brasília, em março, Renato Moicano está pronto para mais um desafio dentro da organização. No próximo sábado (12), o brasileiro vai encarar Rafael Fiziev, atleta do Quirguistão, no card de alto nível do UFC 256, que acontecerá em Las Vegas, nos Estados Unidos. O brasiliense, que já chegou a ser o quarto colocado no ranking da divisão dos penas, agora está disposto a escrever seu nome na classe de peso até 70kg.

Para o confronto diante de Fiziev, que vem embalado por duas vitórias consecutivas e perdeu apenas uma luta em sua carreira, Moicano vem fazendo mais um camp na renomada American Top Team, conhecida por ter treinadores de alto nível e atletas de destaque no cenário mundial, incluindo campeões do UFC. Além disso, Renato teve um breve contato com Marcus Buchecha, atleta 13 vezes campeão mundial de Jiu-Jitsu, que vem realizando sua migração para o MMA e lutará pelo ONE Championship. Em entrevista à TATAME, Renato Moicano contou como foi a experiência de absorver algumas experiências do multicampeão na arte suave.

“Fui em um seminário e aprendi coisas sensacionais, é um cara fenomenal e que tem o traço do campeão, que tem a humildade de aprender. Tive e tenho contato com lutadores extraordinários, como Amanda Nunes, Junior Cigano, Rani Yahya, Dustin Poirier, Marlon Moraes, Edson Barboza. O principal atributo deles é a humildade, e o Buchecha não fugiu disso. Aprendi bastante com os conselhos dele e sou muito honrado por absorver conselhos e conhecimentos de pessoas tão incríveis”, disse o lutador.

Veja a entrevista na íntegra com Renato Moicano:

– Ficou satisfeito com a luta casada contra o Rafael Fiziev? 

Sempre estou satisfeito com o casamento das lutas. É um adversário duro e, da minha parte, não tenho o que reclamar, sempre vou estar pronto para enfrentar quem o UFC escolher. A gente sabe que hoje em dia, no UFC, não tem lutador bobo, qualquer detalhe pode te custar a luta, assim como qualquer detalhe faz você vencer. No UFC estão os melhores e agora vamos para mais um desafio, mas sem dúvida que, mais para frente, quero enfrentar atletas ranqueados na categoria.

– Preparação visando o confronto

O camp foi muito bom, estou treinando com atletas excelentes da American Top Team, lutadores que possuem as características do meu oponente. Estou focando bastante na parte do Boxe, já que meu adversário é um striker. Vamos para cima, é uma luta boa, um grande adversário e o camp está sendo feito de maneira bem específica, trabalhando nas características que a gente quer encaixar no combate. É deixar tudo na academia, trabalhar bastante e chegar pronto para a luta.

– De maneira geral, como você analisa o jogo do seu adversário?

Ele é um cara com um bom poder de nocaute, mas não acho que seja o carro-chefe dele. O perigo dele mesmo é que ele é muito bom no Muay Thai, sabe levar a luta muito bem e possui muitas vitórias por decisão, justamente porque ele sabe controlar a luta. Isso é pior do que enfrentar um cara com poder de nocaute. A gente viu a luta do Brian Ortega com o Zumbi Coreano, eu já lutei com os dois. O Zumbi é nocauteador, mas o Ortega é um cara que consegue levar a luta melhor na decisão, e é difícil você vencer um cara que luta dessa forma. O Fiziev é um cara bem completo, difícil, mas é um adversário que eu tenho plena confiança de que posso vencer com uma boa performance.

– Aprendizados com o multicampeão no Jiu-Jitsu Marcus Buchecha

Tive pouco contato, mas fui em um seminário e aprendi coisas sensacionais, é um cara fenomenal e que tem o traço do campeão, que tem a humildade de aprender. Tive e tenho contato com lutadores extraordinários, como Amanda Nunes, Junior Cigano, Rani Yahya, Dustin Poirier, Marlon Moraes, Edson Barboza. O principal atributo deles é a humildade, e o Buchecha não fugiu disso. Aprendi bastante com os conselhos dele e sou muito honrado por absorver conselhos e conhecimentos de pessoas tão incríveis.

– Confiança visando os próximos passos na categoria peso-leve

Essa luta contra o Fiziev e, se Deus quiser, a vitória, vão mostrar o meu potencial dentro da categoria. O UFC já sabe do meu valor, eu cheguei a ser Top 4 no peso-pena e agora quero ser campeão no peso-leve, estou preparado para isso e me sentindo bem, forte e completo. Quero impor meu jogo, vencer a luta e mostrar que estou pronto para lutar contra os melhores da categoria, cheguei para ficar e eu vou fazer barulho no peso-leve, podem ter certeza.

CARD COMPLETO:

UFC 256
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 12 de dezembro de 2020

Card principal (0h, horário de Brasília)
Peso-mosca: Deiveson Figueiredo x Brandon Moreno
Peso-leve: Tony Ferguson x Charles do Bronx
Peso-leve: Renato Moicano x Rafael Fiziev
Peso-médio: Kevin Holland x Ronaldo Jacaré
Peso-pesado: Junior Cigano x Ciryl Gané

Card preliminar (20h, horário de Brasília)
Peso-pena: Cub Swanson x Daniel Pineda
Peso-palha: Mackenzie Dern x Virna Jandiroba
Peso-palha: Tecia Torres x Adversária a ser definida
Peso-pena: Billy Quarantillo x Gavin Tucker
Peso-pesado: Sergey Spivak x Jared Vanderaa
Peso-meio-médio: Li Jingliang x Adversário a ser definido
Peso-pena: Chase Hooper x Peter Barrett

* Por Mateus Machado