Após a execução do representante da Luta Olímpica Navid Afkari, em setembro do ano passado, outro atleta foi condenado à morte pelo governo do Irã. Mehdi Ali Hosseini, 29 anos, será enforcado depois de ser culpado pela morte de um homem, durante uma briga em 2015. A família da vítima não aceitou o perdão do lutador.

Segundo o jornal espanhol “Marca”, o perdão também foi solicitado, entre outros, pelo campeão olímpico de luta greco-romana Hamid Surian, mas não foi aceito pela família. Entidades locais, como a União Nacional para a Democracia no Irã, pedem sanções do Comitê Olímpico Internacional (COI) ao país. Na morte de Afkari, a entidade chegou a se manifestar, mas afirmou que respeita a soberania de cada nação.

A publicação também informou que existem semelhanças nos casos de Mehdi e Afkari. O lutador morto em 2020 era acusado de matar um agente durante um protesto e formar um grupo contra o país ao lado dos irmãos Vahid e Habib. Já amigos e familiares de Afkari contaram que o atleta confessou o crime sob tortura. A única testemunha do caso disse que o lutador se parecia com o assassino, mas que não tinha certeza.