O prejuízo foi grande para Calvin Kattar na derrota por decisão unânime para Max Holloway, no último sábado (16), pela luta principal do UFC Fight Island 7, em Abu Dhabi (EUA). Além, logicamente, do revés, o americano sofreu durante os cinco rounds de confronto, com destaque para o elevado número de golpes significativos que recebeu na cabeça (foram novo 274, novo recorde da organização).

A “surra” aplicada por Max Holloway foi tão impressionante que o ex-campeão peso-pena, somente no duelo em questão, quebrou oito recordes no UFC. Além disso, muitos, inclusive Dana White, presidente da organização, opinaram que a luta deveria ter sido interrompida pelo árbitro central Herb Dean no quarto assalto, quando “Blessed” aplicou um volume incrível de golpes e deixou seu oponente em situação de risco.

Apesar dos elogios recebidos por ter mostrado uma grande resistência em relação aos golpes conectados de Holloway, Calvin Kattar acumulou machucados que ficaram perceptíveis ainda durante o confronto. Dana anunciou depois do término do UFC Fight Island 7 que o americano foi encaminhado diretamente para o hospital logo após o fim da luta contra Holloway para que seus ferimentos fossem examinados pelos médicos. O empresário e treinador de Kattar, Tyson Chartier, disse ao site MMA Junkie que o lutador quebrou o nariz e também precisou levar oito pontos no couro cabeludo para fechar as feridas que sofreu na cabeça.

Aos 32 anos, Calvin Kattar possui um cartel de 22 vitórias e cinco derrotas no MMA profissional. Antes do duro revés sofrido para Holloway, o atleta vinha de triunfos sobre Jeremy Stephens e Dan Ige, respectivamente.