Se a derrota para Dustin Poirier, no último sábado (23), na luta principal do UFC 257, em Abu Dhabi (EAU), definitivamente, não estava em seu planos, Conor McGregor não tem do que reclamar em relação ao retorno financeiro que teve através do combate, que marcou sua volta ao Ultimate após um ano. De acordo com uma publicação do jornal inglês “The Independent”, o irlandês embolsou US$ 5 milhões de bolsa apenas por ter lutado no evento, assim como também recebeu uma quantia oriunda das vendas de Pay-Per-View da edição, tendo em vista que é o atleta que mais movimenta as vendas desse setor dentro da organização. A estimativa é que os vencimentos de Conor, apenas no combate diante de Poirier, alcancem US$ 20 milhões.

Transformando em reais, os US$ 5 milhões de dólares de bolsa se revertem a mais de R$ 27 milhões. Fazendo as contas, conclui-se que “The Notorious” recebeu R$ 60.475 a cada segundo em que esteve em ação no confronto diante de Dustin Poirier, onde acabou sendo derrotado por nocaute no segundo round do confronto. Os bons resultados também se refletem justamente a Poirier. Mesmo sem chegar perto do astro irlandês no quesito financeiro, o americano atingiu, na revanche contra Conor, a maior bolsa de sua carreira no MMA, faturando US$ 1 milhão de dólares.

Mesmo antes da realização do UFC 257, os números financeiros de Conor McGregor já eram impressionantes. Isso porque o lutador, atualmente com 32 anos, esteve em ação nas lutas principais de quatro das cinco edições com melhor venda de pacotes de Pay-Per-View na história do UFC, o que mostra a importância do irlandês para a organização e, consequentemente, para o esporte como um todo. Com isso, McGregor já garantiu US$ 120 milhões (R$ 638,4 milhões) ao longo de sua trajetória esportiva, valor já descontado de impostos, sem adicionar a quantia recebida pelo ex-campeão duplo do Ultimate no embate contra Dustin Poirier.