Com 41 anos completados no último ano, Glover Teixeira vive uma das suas melhores fases desde que chegou ao UFC, em 2012. O mineiro esperava, no entanto, receber o title shot na categoria dos meio-pesados após engatar uma série de cinco vitórias seguidas – sendo três finalizações e um nocaute. Mas o Ultimate optou por escolher Israel Adesanya, campeão dos médios, como primeiro desafiante de Jan Blachowicz.

Em entrevista ao Ag.Fight, Glover mostrou uma certa insatisfação com a decisão da companhia de não dar sequência ao ranking dos meio-pesados – tendo em vista que o mineiro aparece na primeira posição. No mais, o lutador disse que vai conversar com seu empresário sobre os próximos passos e até a possibilidade de ser um reserva para o confronto que vai acontecer no dia 6 de março, pelo UFC 259. O brasileiro aposta que o melhor para a divisão seja a vitória do polonês, enquanto o nigeriano pode travar as classes de peso.

“Ainda não conversei com o Joinha (Jorge Guimarães, que é empresário do lutador). Vamos nos encontrar e ver qual vai ser o plano. Eles falaram que talvez eu pudesse ficar de reserva para essa luta. Mas não fico pensando nisso. O Blachowicz vencendo eu lutaria com ele mais fácil. Se o Adesanya ganhar vai ser aquela me***. Não sei o que vai acontecer. Qual o cinturão que ele vai defender? É muito complicado”, apontou.