Lutador do UFC, Irwin Rivera foi preso na quarta-feira (7) em Palm Beach, na Flórida (EUA), após receber duas acusações de tentativa de homicídio. O mexicano é o principal suspeito de apunhalar as duas irmãs, de acordo com relatos. O site MyMMANews.com foi o primeiro a notificar o episódio. O boletim de ocorrência descreveu que as duas irmãs do peso-galo foram encontradas sangrando e informaram à polícia que o irmão havia sido responsável por esfaqueá-las. A polícia local ainda não se manifestou oficialmente.

Aos 31 anos, Rivera está sob custódia no centro de detenção de West Palm Beach. Pela gravidade do caso, o atleta não tive direito a fiança. Através de um comunicado, o UFC informou que está “ciente do incidente” e revelou problemas de “saúde mental” que o lutador possa estar enfrentando, segundo seus empresários.

“O UFC está ciente do recente incidente envolvendo Irwin Rivera e subsequentemente recebeu informação de seus agentes que ele vem exibindo comportamento consistente com problemas de saúde mental. As alegações são extremamente preocupantes e a organização está atualmente recolhendo informações adicionais. A investigação está em andamento e quaisquer potenciais próximos passos, incluindo ações disciplinares ou atenção médica, serão determinados após sua conclusão. O UFC informou a equipe de Rivera que não vai oferecê-lo uma luta neste momento”, escreveu a companhia ao MMA Figthing.

Rivera carrega um cartel de dez vitórias e seis derrotas. Já no UFC, o mexicano acumula dois reveses e saiu vitorioso em um combate. O principal feito da carreira do lutador é o cinturão peso-galo do Titan FC.