* Após conhecer sua primeira derrota no MMA profissional em julho do ano passado, quando foi superada pela ex-campeã Carla Esparza por decisão dividida, a peso-palha Marina Rodriguez está pronta para reencontrar o caminho das vitórias. A primeira oportunidade será neste sábado (23), quando a brasileira vai ter pela frente sua compatriota Amanda Ribas no card principal do UFC 257, na “ilha da luta”, em Abu Dhabi.

O desafio promete ser duro – Amanda está invicta no Ultimate, com quatro vitórias -, e por isso a lutadora natural de Bagé, no Rio Grande do Sul, apostou em um camp completo realizado em Florianópolis, ao lado da sua equipe. Em entrevista à TATAME, Marina explicou a importância de realizar o treinamento correto.

“Minha última luta me mostrou como é importante valorizar um camp completo na sua equipe. Contra a Carla eu fiquei 25 dias presa em um quarto de hotel, e acredito que se tivesse feito o camp na minha academia, só passando a semana da luta no hotel, seria um combate diferente. Mas passou, e agora é valorizar toda oportunidade que eu tiver para treinar e aprender ao máximo”, disse a lutadora de 33 anos.

Dona de um cartel com nove vitórias, um revés e dois empates no MMA, Marina possui na trocação o ponto forte, tendo conquistado seis dos seus triunfos por nocaute. Do outro lado, Amanda (10-1) tem quatro finalizações carreira. Para superar as habilidades da sua adversária, a lutadora prometeu agressividade.

“Como sempre, vou mostrar meu jogo em pé, agressividade, e algum diferencial depende do que vai ocorrer na luta, se ela vai dar alguma brecha. Se a Amanda vier com a mesma vontade que eu estou, vai ser uma grande luta”, projetou a gaúcha, que está em preparação desde o fim do ano passado. “Depois da minha última luta eu já queria entrar em ação em dezembro ou janeiro, e aí pintou a possibilidade de substituir a Michelle Waterson. Como lutei em julho, tive tempo, deu tudo certo e me sinto mais forte em todas as áreas”.

Sobre a reta final para o aguardado combate entre brasileiras, Marina contou que o corte de peso vai bem e, agora, é hora dos últimos treinos, “intensos, mas com menos duração”, e de focar na estratégia. Vale citar que Rodriguez está na oitava posição do ranking peso-palha feminino, enquanto Amanda ocupa a décima colocação. A vencedora, dependendo do restante da categoria, pode almejar um lugar no Top 5.

“Não fico pensando muito nesses detalhes, no show, meu foco é no treino e depois em subir no octógono, fazer o meu melhor. Claro que com o tempo o reconhecimento vem, mas por enquanto estou buscando meu espaço, tranquila e focada”, afirmou a lutadora, que planeja entrar em ação três vezes em 2021.

“Em anos normais, eu consigo fazer três lutas, e como agora o evento está mais normalizado, espero fazer três lutas neste ano. Dando tudo certo, sem eu me lesionar, a pandemia ajudando, me vejo lutando bastante e, principalmente, evoluindo. Se os resultados vierem, chego no topo da divisão. Todas as minhas adversárias até agora foram duras, ranqueadas, então se eu seguir vencendo, quem sabe alcanço o Top 5”, encerrou.

CARD COMPLETO:

UFC 257
Ilha da Luta, em Abu Dhabi (EAU)
Sábado, 23 de janeiro de 2021

Card principal (0h, horário de Brasília)
Peso-leve: Dustin Poirier x Conor McGregor
Peso-leve: Dan Hooker x Michael Chandler
Peso-mosca: Jessica Eye x Joanne Calderwood
Peso-leve: Matt Frevola x Ottman Azaitar
Peso-palha: Marina Rodriguez x Amanda Ribas

Card preliminar (20h30, horário de Brasília)
Peso-leve: Arman Tsarukyan x Nasrat Haqparast
Peso-médio: Brad Tavares x Antônio Cara de Sapato
Peso-galo: Julianna Peña x Sara McMann
Peso-meio-pesado: Khalil Rountree Jr. x Marcin Prachnio
Peso-médio: Andrew Sanchez x Makhmud Muradov
Peso-pena: Nik Lentz x Movsar Evloev
Peso-mosca: Amir Albazi x Zhalgas Zhumagulov

* Por Diogo Santarém