Disposto a receber uma nova chance de disputar o cinturão peso-médio do UFC, Paulo Borrachinha terá um importante desafio pela frente em sua próxima luta. O brasileiro teve o “desejo atendido” pela organização e vai enfrentar o ex-campeão da categoria, Robert Whittaker, no dia 17 de abril, provavelmente no duelo principal de um card “Fight Night” da companhia. A informação foi divulgada pelo site da ESPN americana.

Borrachinha, desde a derrota para Israel Adesanya, vem desafiando Whittaker, que em contrapartida, afirmava que só uma luta diante do nigeriano o interessava. No entanto, com a subida do campeão até 84kg para os meio-pesados, para encarar Jan Blachowicz em março, seus planos, aparentemente, mudaram.

Com 29 anos, Paulo Borracinha estava invicto no MMA, com 13 vitórias, mas em sua última luta, contra Adesanya, o mineiro foi nocauteado no segundo round e, além de ter perdido a invencibilidade no esporte, desperdiçou a chance de se tornar campeão peso-médio do UFC. Já Whittaker, que perdeu o título da divisão para Israel em 2019, vem embalado por dois triunfos seguidos, diante de Darren Till e Jared Cannonier.

Vicente Luque enfrenta ex-campeão Tyron Woodley

Além de Borrachinha, quem também vai ter uma “parada dura” pela frente será Vicente Luque. O brasileiro, atleta meio-médio, vai enfrentar o ex-campeão da categoria, Tyron Woodley, no UFC 260, agendado para acontecer no dia 27 de março, ainda sem local definido. A informação do confronto foi confirmada pela ESPN americana. O card em questão, vale salientar, contará com as disputas de cinturão entre Stipe Miocic e Francis Ngannou (peso-pesado), Alexander Volkanovski x Brian Ortega (peso-pena) e outras boas lutas.

Décimo colocado no ranking da divisão, Vicente Luque vem de dois triunfos em sequência, sobre Niko Price e Randy Brown, este último em agosto do ano passado, por nocaute técnico no segundo round. Ex-campeão dos meio-médios, o experiente Tyron Woodley ocupa, atualmente, a sexta posição na lista dos melhores da categoria e vive momento oposto em relação ao brasileiro. O americano, de 38 anos, acumula três derrotas consecutivas, a mais recente delas em setembro, quando foi nocauteado pelo desafeto Colby Covington.