Um dos nomes mais enigmáticos do Jiu-Jitsu, Rolls Gracie viveu por apenas 31 anos e morreu após sofrer um acidente de asa delta, em Mauá, no Rio de Janeiro, em 1982. O lutador de Jiu-Jitsu iniciou na modalidade com apenas 12 anos, ajudando o seu tio Hélio Gracie na academia. Por ser um prodígio, aos 16 anos recebeu a faixa-preta e, antes de completar 18, já tinha conhecido diversos lugares no exterior e falava inglês fluente.

Após uma longa viagem no continente europeu, Rolls retornou ao Brasil com um gosto maior por artes e entusiasmado para ajudar a realizar campeonatos de Jiu-Jitsu, ajudando a expandir modalidade pelo país. Com isso, passou a ser um entusiasta da arte suave e dos torneios – algo raro entre até a década de 1970.

Em 1973 foi realizado o primeiro Torneio Oficial de Jiu-Jitsu do Brasil no então estado da Guanabara, que teve a participação de academias do Rio de Janeiro, São Paulo e também Minas Gerais. Rolls fez história neste campeonato e se tornou o primeiro campeão absoluto ao vencer o casca-grossa Maurício Robbe na decisão.

Rolls foi responsável por formar importantes nomes do Jiu-Jitsu como Carlos Gracie Jr, Maurição Motta (pai de Roger Gracie), Romero Jacaré, Crolin Gracie, Rillion Gracie, Renan Pitagui, entre outros bons destaques.