Após retorno de Mário Reis, Langhi revela inspiração e diz: ‘No Mundial já criei minha história, mas luta casada é interessante’

Com o surgimento de cada vez mais eventos de lutas casadas no Jiu-Jitsu, alguns nomes importantes da modalidade estão voltando a se aventurar nos tatames. Um caso recente foi do casca-grossa Mário Reis, que participou do BJJ Stars, no último dia 6, e saiu com o triunfo sobre Leon Amâncio. Companheiro de equipe do gaúcho, Michael Langhi, multicampeão na arte suave e que está no comando da Alliance São Paulo, falou à TATAME sobre a amizade entre os dois e a inspiração para retornar e, em breve, fazer uma superluta.

“Mesmo ele (Mário Reis) estando ausente das competições por seis anos como competidor, ele sempre esteve muito presente como coach. Sentimos a emoção, conseguimos ver todo aquele sentimento que ele passa de fora para dentro para os alunos dele. Isso é muito bacana. Poder dividir o tatame com esses caras é sensacional, são ícones do esporte, além de um grande amigo”, disse o tetracampeão mundial, que seguiu:

“Obviamente, não penso em voltar a competir nos Campeonatos Mundiais. Estou só organizando a academia (Alliance), estou aqui à frente agora, isso me toma todo tempo, mas assim que a casa estiver em ordem, vou aparecer para fazer uma luta casada. Em Mundial, já deixei a minha contribuição para o esporte, criei a minha história, mas uma luta casada seria interessante”, concluiu Langhi, que em 2021 completa 36 anos.