* Aos 28 anos, Luan Lacerda é o atual campeão peso-galo do Shooto Brasil. A conquista aconteceu em outubro do ano passado – última vez que ele entrou em ação -, quando o lutador natural do Amapá derrotou Wellington Lopes por finalização, no segundo round, com um justo mata-leão. O cinturão, até agora, é o auge da carreira do brasileiro, que em entrevista à TATAME, relembrou a conquista e sua trajetória no MMA.

“O título representa o encerramento de um ciclo que começou quando eu decidir sair da minha cidade em busca dos objetivos. O cinturão do Shooto Brasil fechou um desses ciclos, que era ser campeão do evento, e agora estou visando o próximo, que é ser campeão de uma grande organização. Deixei a minha cidade para ser um grande lutador, campeão no mundo da luta, e sempre fui ambicioso de querer ser o melhor na função que escolhi. Eu saí decidido do que eu queria”, projetou o brasileiro, comentando seu início nas artes marciais.

“Eu comecei a treinar Jiu-Jitsu aos 12 anos, na Frankiko Mkn, porque sempre gostei de porrada. Desde criança, quando eu tinha uns 8 anos, brincava de porrada com um primo (também chamado Luan) e nossas luvas eram panos de prato que enrolávamos nos punhos. Nós saímos na porrada, eu dava uns socos e ele me agarrava pra levar para baixo, eu montava e ia na chave de braço (risos). Nesse ano meu pai me levou para um evento de Vale Tudo/MMA e eu me apaixonei. A partir dali já sabia que queria lutar”, completou.

 

Atualmente morando no Rio de Janeiro onde treina na equipe Nova União, comandada por Dedé Pederneiras, Luan comentou sobre o seu processo de mudança do Macapá, capital do Amapá, e destacou o acolhimento.

“Foi um processo tranquilo, pois sou tranquilo em relação a tudo e com tudo. Me senti muito bem acolhido pelo Dedé (Pederneiras), que é um grande homem e mestre. Ele é muito observador, fala pouco. Quando fala, é para orientar alguém, uma posição, situação de luta. Temos uma conexão muito profissional e bacana, assim como é com o meu preparador físico Aleksandro Ferreira”, afirmou o campeão, que ainda sem uma data ou adversário definidos para defender o título peso-galo, analisou seu estilo de luta no cage.

“Não tenho um jogo definido. Sou faixa-preta de Jiu-Jitsu e f*** de MMA! Eu entendo muito, sou técnico e forte se precisar usar a força”, encerrou Luan, dono de um cartel com dez vitórias e apenas uma derrota no MMA.

* Por Diogo Santarém