Astro do Jiu-Jitsu, Buchecha tem estreia no MMA marcada pelo ONE Championship para abril contra adversário sul-coreano

* Maior campeão mundial de Jiu-Jitsu, com 13 títulos conquistados, Marcus Buchecha teve novamente sua estreia no MMA agendada pelo ONE Championship. O faixa-preta vai encarar o sul-coreano Ji Won Kang, no dia 7 de abril, segundo informações do Combate.com. O asiático soma quatro lutas de MMA, todas elas com vitória por nocaute ainda no primeiro round. Antes de enfrentar o brasileiro, “Mighty Warrior” tem compromisso marcado contra Amir Aliakbari, no próximo dia 5, também pelo ONE. Inicialmente, o adversário de Buchecha seria o senegalês Oumar “Reug Reug” Kane, que acabou deixando a luta e preferiu encarar Alain Ngalani – em duelo que venceu por nocaute técnico, em janeiro, também pela companhia asiática.

À TATAME, Buchecha disse que espera encontrar o senegalês mais pra frente dentro do ONE Championship (assista acima). Já sobre sua transição para o MMA, o faixa-preta – que treinou em diversas equipes como Kings MMA e AKA – se estabilizou na American Top Team (ATT), na Flórida, Estados Unidos, uma das referências dentro da modalidade e casa de diversos nomes consagrados, além de muitos brasileiros.

“A minha base está mesmo na American Top Team, na Flórida. Estou treinando lá e a equipe tem uma estrutura muito boa, com muitos campeões, grandes coachs. Está sendo um lugar ótimo para aprender e fazer a transição (do Jiu-Jitsu para o MMA). Agora é treinar e ir para a luta”, disse Marcus, que ainda comentou sobre os elogios de Daniel Cormier, um dos maiores nomes do MMA e ex-campeão duplo do UFC.

“O ‘DC’ se tornou um grande amigo, treinei a primeira vez com ele em 2013. Desde então, criamos uma amizade. Sempre que tinha uma oportunidade, ia treinar com ele, seja em Los Angeles ou na AKA, em San Jose. Ele conseguiu ver um pouco da minha evolução, e eu consegui ver a dele. De 2013 para o último camp, o Jiu-Jitsu dele estava impecável. O Leandro Vieira fez esse ótimo trabalho, além dele se esforçar muito bem. Receber um elogio de um cara como ele, um dos maiores pesos pesados da história, é gratificante”, concluiu.

* Por Yago Rédua