Campeão peso-pena do Future MMA, Elismar Carrasco venceu o russo Viktor Kolesnik por nocaute técnico no último sábado (20), na luta principal do evento Open FC 2, em Samara, Rússia. O goiano acuou o anfitrião na grade e desferiu uma série de socos para definir o duelo no round inicial, anotando sua sexta vitória seguida.

“Foi uma vitória importantíssima para a minha carreira. Fui ciente de que ali eu teria que dar o meu melhor, ou seja, finalizar ou nocautear, porque deixar nas mãos dos juízes, ainda mais na Rússia, é sempre uma incógnita. Esta é a minha segunda vitória fora do Brasil, e vencer um russo dentro da casa dele é a prova de que eu estou pronto para qualquer desafio”, vibrou o peso-pena, que é destaque no cenário nacional.

Aos 32 anos, Carrasco vive o seu auge como lutador profissional. Com este triunfo, agora soma 23 vitórias, sete derrotas, um empate e uma luta sem resultado em 32 combates disputados. Entre suas vítimas estão o veterano Rodolfo Marques, no Shooto Brasil, e as promessas Antônio Buiú e Rafael Coxinha, ambos no Future.

“Agora só espero que alguém me veja, espero minha oportunidade em um grande evento internacional, já que são seis vitórias consecutivas e o cinturão do Future MMA, que não é para qualquer um. Estou mais que pronto para ir para um grande evento internacional e levar o nome do Brasil, assim como muitos já fizeram”.

A luta no Open FC 2 foi a primeira apresentação de Elismar Carrasco desde a conquista do cinturão peso-pena do Future MMA, em outubro do ano passado. Fundador da companhia sediada no Brasil, Jorge Oliveira parabenizou o atleta pela conquista e explicou a importância de tê-lo liberado para lutar em outro evento.

“É preciso ter bom senso, principalmente nesse momento. Devido à pandemia, tivemos que segurar nossas edições, mas não seria justo frear a carreira de um atleta nosso, mesmo se tratando de um campeão. Essa vitória do Carrasco só prova que quem se sai bem no Future tem condições de triunfar em qualquer lugar”.

Ainda de acordo com Jorge Oliveira, o Future MMA passou por uma reformulação em seu corpo executivo no último ano, mas nada que altere a filosofia da organização, que continua sendo lançar talentos brasileiros para grandes eventos internacionais, como vem fazendo desde a sua estreia, em janeiro de 2019. A ideia, segundo informa o CEO da companhia, é promover pelo menos três edições ao longo de 2021.