* Atualmente a sétima colocada no ranking peso-mosca feminino do Ultimate, Viviane Araújo chegou à organização em 2019 e, desde então, realizou cinco duelos, com quatro vitórias e apenas uma derrota, para Jessica Eye. Vivendo um grande momento, a brasileira, que vem de um triunfo sobre Roxanne Modafferi, em janeiro, foi escalada para enfrentar a americana Katlyn Chookagian, segunda no ranking, em evento do UFC Fight Night marcado para o dia 15 de maio, provavelmente em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Em entrevista à TATAME, Vivi celebrou o resultado positivo contra Modafferi, por decisão unânime dos jurados, se deu nota “9.5” e viu a atuação como um fator de confiança para encarar os próximos desafios na divisão.

“Sai muito satisfeita (com minha atuação), nota 9.5. A estratégia era fazer uma luta inteligente, pois sabia que a Roxanne é uma atleta perigosa, então tentei me manter focada e agressiva na trocação, meu domínio no solo foi superior. Me mostrei uma atleta completa, com um Boxe afiado, que castiga as adversárias. Além disso, tenho a segurança de estar evoluindo no Wrestling e confio nas minhas quedas e defesas. Se houvesse mais alguns segundos no fim do primeiro round, meu Jiu-Jitsu não iria perdoar ela”, analisou a brasiliense, que completou sobre como manter a concentração em meio ao “passeio” durante os três rounds.

“A preparação reflete na luta, então é fazer o que foi programado pra ser feito, confiar na estratégia montada pelos treinadores e se surgir a chance do nocaute ou finalização, é bônus. Eu estou curtindo muito fazer lutas de três rounds. Estar na guerra me faz amar cada vez mais esse esporte”, completou a lutadora de 34 anos.

Crescendo degrau por degrau dentro da organização, como a mesma gosta de repetir, Vivi recebeu uma chance de ouro contra Katlyn e, em caso de um novo triunfo, pode se aproximar de vez do title shot na categoria peso-mosca, que tem a fera Valentina Shevchenko como atual campeã – e invicta há seis lutas.

“Eu queria encarar qualquer uma que estivesse na minha frente no ranking, de preferência uma por uma, degrau por degrau. Estou em ótima forma física e mental, sinto que esse é o meu momento de crescer ainda mais rumo ao topo. Todas do Top 5 (incluindo a Katlyn Chookagian) são atletas que eu adoraria enfrentar, cada uma com seu estilo e característica. Estou de volta aos treinos, me sentindo ótima e com muita disposição para entrar em ação de novo. O plano da Vivi para 2021 é ser a funcionária do ano”, encerrou.

* Por Diogo Santarém