Mesmo em meio à pandemia provocada pela Covid-19, a FJERJ (Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro) seguiu trabalhando firme visando a evolução dos atletas e, consequentemente, do esporte em geral. Através de uma parceria com a Escola Nacional de Judô, a entidade pôde promover, seguindo todos os protocolos de segurança, o Conselho de Promoção para o 1°, 2°, 3° 4° e 5° Dan de Judô do ano de 2020.

O processo completo de avaliação foi feito de maneira remota, e possível graças ao auxílio da plataforma desenvolvida pela Escola Nacional de Judô, tornando viável avaliar os resultados individuais de cada candidato(a). Superintendente Executivo da FJERJ e árbitro credenciado da FIJ, Jeferson Vieira falou sobre.

“Nós não queríamos deixar nossos atletas que se formariam faixa-preta no último ano, ou que iriam graduar a 1º, 2º, 3º, 4º grau, ‘perdessem’ o ano. Fomos procurar algumas plataformas e tínhamos o conhecimento do Sensei Altair, 7º Dan. Ele nos passou a plataforma para estudarmos e a grande vantagem é que se trata de uma plataforma de lutas, mas muito voltada para o Judô. Isso agradou a todos, desde a diretoria até as agremiações, pela facilidade de manuseio da plataforma”, ressaltou Jeferson, seguido de Jucinei Costa, presidente da FJERJ, que compartilhou da mesma opinião sobre o sistema de controle.

“Como era um momento em que não poderíamos fazer a graduação de forma presencial, procurei algumas plataformas para poder realizar essas avaliações de forma virtual. São compostas de um exame admissional, onde o candidato é avaliado se pode entrar no processo. Depois, são quatro módulos teóricos e práticos, onde o atleta posta dentro da plataforma os movimentos/golpes e assiste algumas palestras. Por último, o exame final, onde os professores avaliam novamente o conteúdo, e aqueles que não tinham alcançado a excelência nos movimentos pedidos, têm que refazer e postar. Era uma necessidade atendermos a carência do candidato para a promoção dele, foi daí que surgiu a ideia de se unir à Escola Nacional de Judô”.

“A avaliação com o auxílio da plataforma foi muito positiva, tanto da diretoria, como dos professores e candidatos que participaram do processo. Isso facilitou muito a vida dos candidatos, porque quem não é da capital, sempre tem que se deslocar para a capital, e dessa forma, houve uma economia grande na realização dos módulos. Por outro lado, a gente prefere que os módulos aconteçam de forma presencial, porque reunir cerca de 200 candidatos em um dojo, numa troca de informações, é bem mais positivo. Mas, diante do momento que vivemos, foi importantíssimo fazermos de forma virtual”, destacou Jucinei, que revelou ainda que a parceria de sucesso seguirá ativa para o ano de 2021.

“A parceria continua para este ano, porque ainda temos a necessidade de percorrer as avaliações do ano de maneira virtual. No segundo semestre, ainda vamos avaliar a questão da vacina, entre outros fatores. No entanto, é uma parceria que não terá fim, porque já está firmado que, mesmo que a gente passe pela pandemia, estaremos utilizando o primeiro módulo sempre com o conteúdo teórico, sempre virtual, o que vai trazer uma economia para os nossos candidatos, utilizando ainda uma plataforma de excelência”.

Responsável pela Escola Nacional de Judô, o Sensei Altair Araújo, 7º Dan de Judô, também fez uma avaliação da parceria com a FJERJ e falou sobre os planos ENJ para o ano de 2021. “Foi uma grande oportunidade de fazer um trabalho em conjunto com uma federação tão séria e preocupada com o ensino e valorização dos profissionais que nela atuam. Já conhecíamos o Sensei Jucinei e outrora apresentamos um trabalho que poderíamos fazer com sua federação. Com o advento da pandemia, fomos procurados a fazer uma apresentação para toda diretoria. Assim o fizemos, e depois da FJERJ fazer todas avaliações, recebemos um comunicado e uma missão, que foi cumprida. A meta para 2021 é oferecer um trabalho ainda melhor do que foi feito em 2020, além de procurar prestar serviços também às associações, com cursos e sistemas de gestão. Acreditamos que se as associações fizerem ainda mais melhorias em sua gestão, poderão obter resultados bem mais expressivos, fazendo, assim, a FJERJ ainda melhor”, encerrou Altair a respeito do futuro.