Conhecido por ser o atleta com mais lutas de MMA na história do esporte (323 ao todo), Travis Fulton se envolveu em um caso grave fora do cage. Atualmente com 43 anos, o lutador foi indiciado nos últimos dias por meio de um júri federal após ser acusado de explorar sexualmente uma criança, além de posse e receptação de pornografia infantil. As sérias acusações foram reveladas pelo jornal “The Courier” na última sexta-feira (19), data em que Fulton esteve presente em uma audiência para se defender de um caso relacionado à violência doméstica na Corte Distrital de Cedar Rapids. Apesar de se declarar inocente, o peso-pesado seguirá detido até uma próxima audiência, que inicialmente está agendada para o mês de abril.

O americano é apontado, desde novembro do ano passado, por tentar seduzir uma menor a participar de um ato sexual com a justificativa de fotografá-la. O lutador também foi acusado de ter em sua posse imagens pornográficas de uma criança de 12 anos, no período de novembro de 2018 a novembro de 2020, de acordo com documentos obtidos pelo “The Courier”. Enquanto isso, Fulton está no aguardo do julgamento pela acusação de violência doméstica, em caso que ocorreu em setembro de 2019, quando teria ameaçado e agredido uma mulher. A vítima, na ocasião, precisou de atendimento médico após sofrer lesões na mandíbula, nariz e boca. Entretanto, em janeiro deste ano, ambos foram vistos juntos em um cassino e detidos por não respeitarem os termos de uma ordem de restrição emitido pelas autoridades locais.

Atleta da categoria peso pesado, Travis Fulton possui aproximadamente 24 anos de carreira no MMA e, em seu cartel, contabiliza 323 lutas profissionais, com 257 vitórias, 55 derrotas e dez empates. O americano, que entrou em ação pela última vez em 2019, fez duas lutas no UFC, ambas em 1999, e ao longo de sua trajetória, enfrentou nomes como Andrei Arlovski, Rich Franklin, Dan Severn, Forrest Griffin, Renato Babalu, entre outros.