Aos 23 anos, Vinícius Ferreira, ou apenas “Trator”, como é conhecido, vem despontando como uma das principais promessas da Alliance na atualidade. Somando inúmeros títulos desde as faixas coloridas, o atleta, que foi graduado faixa-preta por Michael Langhi e Fábio Gurgel no fim de 2018, vai em busca de mais uma conquista no final deste mês, quando irá disputar o Orlando Open da IBJJF, na Flórida (EUA), dias 27 e 28.

“A minha expectativa com certeza é ganhar e ter uma boa performance. Minha preparação para esse torneio está sendo muito boa, voltei a treinar pesado depois de quase um ano todo parado sem treinar como gostaria, e acredito que vou ter uma boa performance nesse campeonato”, declarou o jovem casca-grossa.

Vinícius iniciou sua jornada nos tatames ainda jovem, aos 12 anos, e posteriormente se apaixonou pela modalidade que viraria profissão. Aos 17 anos, o paulista já havia conquistado mais de 160 medalhas de ouro, e acolhido por Fábio Gurgel na Alliance, rapidamente ganhou destaque no cenário brasileiro e internacional.

Campeão mundial pela IBJJF nas faixas-roxa e marrom, o atleta, agora faixa-preta, falou sobre a principal diferença que sentiu ao competir entre os “tubarões” na elite da arte suave: “Na verdade, muitos dos atletas que competiram comigo na marrom são os que competem hoje na preta. O que eu senti bastante diferença é que você não pode errar. Tudo tem que ser perfeito, do começo da luta até o fim”, analisou.

Além dos títulos com quimono, o brasileiro também se destaca quando o assunto é No-Gi. Um dos ápices da sua carreira, inclusive, aconteceu no ADCC 2019 – maior torneio de luta agarrada do mundo -, quando Vinícius surpreendeu ao vencer o Paul Ardilla, Jackson Sousa e Vinny Magalhães na categoria até 88kg. Na grande final, porém, ele acabou superado pelo americano Gordon Ryan, considerado um dos principais nomes sem quimono da atualidade. Com o revés “engasgado”, Trator mira a revanche.

“Estou treinando para ser o melhor, e caso aconteça o Mundial esse ano, será um dos meus focos. Também quero a revanche com o Gordon Ryan, com quem lutei na minha final do ADCC em 2019. É uma luta casada que pretendo realizar ainda em 2021”, disse Vinícius, que por conta da pandemia, acabou se mudando para Miami, também nos EUA, onde vem treinando com Roberto Cyborg e vários outros craques na Fight Sports.