A trilogia entre Mike Tyson e Evander Holyfield segue ganhando novos capítulos e sua realização está cada vez mais incerta. Após os representantes de Evander afirmarem que “Iron Mike” recusou uma proposta de cerca de R$ 140 milhões garantidos para o combate e as negociações desandarem, Tyson se manifestou.

O ex-campeão mundial de Boxe, que retornou ao ringue no fim de 2020 para um combate de exibição contra Roy Jones Jr, garantiu que a luta com Holyfield está mantida e aproveitou para criticar os promotores.

“Quero que todos saibam que a luta entre mim e Holyfield está de pé. Holyfield é um homem humilde e de Deus. Ouçam o que eu estou falando, terei sucesso no dia 29 de maio. Eu aprendi muito. Não precisamos de promotores. O que é um promotor? Líder de torcida superestimado? Eles dizem ao lutador o quão bom ele é, ‘sim, você é o melhor. Você vai vencer todo mundo’. Eu gosto de promotores, mas para que você precisa de alguém nessa posição de negócio? Para ditar seu negócio? Você deve apenas ir buscar o seu cheque, fazer o que você quiser fazer e não falar com ninguém, certo?”, disse Tyson em entrevista à revista Haute Living.

Os agentes de Holyfield revelaram que o combate entre os dois estava praticamente fechado para o Hard Rock Stadium, em Miami, nos Estados Unidos. Tyson não quis contar o lugar durante a entrevista, mas voltou a garantir que retornará aos ringues no dia 29 de maio. Em fevereiro deste ano, Zab Judah, amigo de “Iron Mike” e ex-campeão mundial, apontou que a trilogia iria acontecer em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Tyson, 54 anos, e Holyfield, 58 anos, lutaram pela primeira vez em 1996. Na ocasião, Evander venceu por nocaute técnico. Em 1997, na revanche, “Iron Mike” foi desclassificado após morder a orelha do adversário.