Cinco meses depois da derrota para Israel Adesanya por nocaute na luta principal do UFC 253, realizado em setembro do ano passado, Paulo Borrachinha segue repercutindo o combate, onde desperdiçou a oportunidade de se tornar campeão peso-médio do Ultimate e, de quebra, perdeu sua invencibilidade no MMA após 13 vitórias contabilizadas. O brasileiro nunca escondeu que não se adaptou bem ao fuso horário de Abu Dhabi, local onde ocorreu o duelo, mas dessa vez, procurou dar mais detalhes para justificar o duro revés.

Através do seu canal no YouTube, o mineiro revelou que não conseguia dormir antes do importante confronto diante de Adesanya, e surpreendeu ao afirmar que, para forçar o descanso, tomou uma garrafa inteira de vinho. A “tática”, entretanto, acabou sendo prejudicial, conforme o próprio Borrachinha conta a seguir:

“Na luta contra o Adesanya, eu estava com 20% da capacidade. Tivemos que mudar a estratégia no vestiário. O certo seria não lutar. Muitos perguntaram o que aconteceu, falaram que eu estava diferente, mas minha condição era péssima, horrível. Não dormi, tive câimbra na perna o tempo todo. A Comissão Atlética foi duas vezes no vestiário para ver minha perna. Eu estava confiante, queria lutar e fiz a estratégia errada. Eu lutei meio que bêbado, talvez, de ressaca. Não consegui dormir por causa das câimbras. Lembrando que a luta, lá (Abu Dhabi), acontece às nove da manhã e tínhamos que acordar às cinco”, relembrou Paulo, completando.

“O UFC exige isso. Até duas e meia da manhã, eu não tinha dormido. Foi erro meu. Eu precisava dormir. Estava mais de 24 horas acordado. Eu tomei muito vinho, uma garrafa para tentar apagar. Meia garrafa não adiantou, bebi tudo. Em toda luta, entro ativo, tenho receio de ser golpeado, então fico ligado. Nessa luta, pelo título, eu estava sonolento, abrindo a boca, sem nenhuma preocupação. Não senti nada e tanta calma me assustou. Por ter acontecido diversas coisas, estou ansioso para lutar com Adesanya novamente. Lutar de uma forma real, agressiva. Ele respeita muito o poder de nocaute, sabe que tem fragilidade, por isso corre”.

Apesar do desejo de revanche contra Israel Adesanya, Paulo Borrachinha terá outro desafio em sua próxima luta pelo Ultimate. O brasileiro tem duelo agendado contra o ex-campeão peso-médio Robert Whittaker, no dia 17 de abril, em Las Vegas (EUA). O australiano, vale lembrar, vem de duas vitórias seguidas na companhia.

Veja o vídeo na íntegra: