Fundado no ano de 2009 em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, o Instituto Faixa-Preta de Jesus é um dos projetos sociais de lutas mais conhecidos do Brasil, sendo apoiado de perto pelas lendas Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro, pela septuagenária Legião da Boa Vontade, pela Super Rádio Brasil AM 940 e pela Prime Esportes. Desde o seu início, a ação leva os ensinamentos das artes marciais a crianças e jovens de baixa renda das comunidades da região.

Porém, desde o início da pandemia, no começo de 2020, os quimonos e as luvas medidas em onças deram lugar a máscaras e luvas descartáveis. Em vez de técnicas de Boxe, Jiu-Jitsu e Muay Thai, o Faixa-Preta de Jesus passou a entregar alimentos às famílias dos alunos para reduzir o impacto causado pelo vírus. De acordo com o fundador do projeto, Ricardo Cavalcanti, desde março de 2020 já foram doadas 20 toneladas de alimentos.

“Artes marciais são importantes para passar disciplina e nesses mais de 10 anos de trabalho conseguimos mudar a vida de milhares de jovens. Só que o momento que vivemos pede uma ajuda a curto prazo, por isso interrompemos nossas aulas para usar nosso tempo para arrecadar alimentos e distribuí-los. O que as pessoas mais precisam agora é amor, carinho e doação”, explica o agente social.

Em parceria com a empresa de alimentos M. Dias Branco, o projeto repassou toneladas de biscoitos a famílias afetadas economicamente pela pandemia. Durante a páscoa, foram doados até ovos de chocolate. O resultado foi tão positivo que ultrapassou os limites da Baixada Fluminense. Além de ter distribuído parte do arrecadado para outros projetos do Rio, o Faixa-Preta de Jesus também enviou doações para Brasília.

Faixa-preta de Jiu-Jitsu, Halyson Lessa lidera o projeto Cristo Gama Distrito Federal, que desde 2011 leva os ensinamentos da arte suave a moradores das comunidades da região. Com as doações feitas pelo Faixa-Preta de Jesus e levadas à capital federal pela Transita, cerca de 100 famílias foram beneficiadas. As entregas começaram a ser feitas no início desta semana.

“O Jiu-Jitsu agrega. Graças ao Jiu-Jitsu fiz grandes amigos, entre eles o Ricardo Cavalcanti do Faixa-Preta de Jesus, que nos entregou os biscoitos para doarmos para as famílias daqui. Atendemos cerca de 70 alunos entre crianças, jovens e adultos e não está sendo fácil esse momento de pandemia”, destaca o faixa-preta da Barreto Jiu-Jitsu.