Campeão pan-americano No-Gi, do NY BJJ Pro, F2W e Submission Hunter Pro, entre outros títulos, o casca-grossa Felipe Rocha está atrás de mais uma conquista: o topo do ranking da IBJJF na faixa-marrom. Atualmente em terceiro lugar na temporada 2020/21, o brasileiro estava até pouco tempo atrás na liderança da lista, mas foi superado por Damion Shaun (253.5 pontos) e Eduardo Roque (251 pontos) – Felipe tem 249.5 pontos no momento. Responsável por lapidar o jogo do faixa-marrom, Ed Ramos conversou com a TATAME e, além de relembrar o início da parceria com Felipe, destacou as habilidades do pupilo na arte suave.

“Já nos conhecíamos há algum tempo, mas em 2019 ele veio para Houston (EUA) lutar e começamos a conversar sobre ele ficar, se dedicar mais ao Jiu-Jitsu. Na época ele estava morando em Nova York, tinha dois ou três empregos, quase não conseguia se dedicar ao esporte, mas mesmo assim mandava muito bem. Agora ele me ajuda com as aulas e se dedica 100% à carreira de atleta profissional”, contou Ed, que seguiu.

“O Felipe é um trabalhador duro, com ele não tem moleza, está sempre de mente aberta para ajudar e aprender. Hoje ele treina 2x por dia Jiu-Jitsu e 4x por semana preparação física, se dedica demais aos drills. O jogo dele é justo, pra frente e suas passagens de guarda são excelentes. É um jogo de muita pressão”.

Sobre a evolução de Felipe, o professor Ed – faixa-preta desde 2009 – ressaltou o trabalho voltado para o sem quimono e, além disso, listou os próximos desafios do lutador na temporada: “Ele está evoluindo muito, treinando bastante No-Gi e já estamos fazendo alguns planos para lutar, defender os cinturões do F2W e do Submission Hunter Pro. Além disso, tem o Pan No-Gi da IBJJF, em maio, ele vai lutar a seletiva para o ADCC e quem sabe algumas lutas de MMA. O Felipe está com um nível bem elevado tecnicamente, boa bagagem e cada vez mais perto da faixa preta. Com certeza vai dar trabalho para o pessoal, o bicho é uma máquina”.

 

Felipe exalta parceria com Ed Ramos

Morando em Houston, no Texas (EUA), onde trabalha e treina na Ed Ramos Jiu-Jitsu HQ, Felipe também destacou a parceria entre eles, citando a importância do professor na caminhada como atleta profissional.

“O Ed Ramos é muito importante pra mim. Ele não só me ajuda a melhorar tecnicamente e fisicamente, mas também me ajuda muito mentalmente. Isso é algo que eu sinto que falta para muitos atletas, ter um professor que se importa não só com o seu estado físico, mas com o mental”, observou o faixa-marrom.

“Atualmente eu sinto que estou evoluindo muito e melhorando em várias áreas diferentes do meu jogo. Esse ano estou focado em ganhar o Pan Americano No-Gi e a seletiva do ADCC, também representar o Jiu-Jitsu no mundo do MMA. Fora disso tenho planos de seguir melhorando como atleta e professor”, encerrou Rocha.