Se o tom adotado por Jon Jones nas últimas semanas dava conta de que uma possível disputa contra Francis Ngannou pelo cinturão peso-pesado do UFC estava cada vez mais distante de acontecer, o ex-campeão meio-pesado resolveu dar um “sopro” de esperança aos fãs de MMA. Em entrevista ao site “Fight Hype” na última quinta-feira (8), “Bones”, que vem em transição para a divisão até 120kg desde o ano passado, mostrou confiança de que o combate com Ngannou vai acontecer “mais cedo ou mais tarde”.

“Acho que vai acontecer (disputa de cinturão). Acredito que o UFC eventualmente fará a coisa certa. Acho que essa é uma das maiores lutas da nossa geração e seria muito triste se não acontecesse. Seria uma verdadeira tragédia (se não acontecesse). Ela vai acontecer. Tudo em seu tempo. Somos pacientes e, como eu disse, apenas fazendo o que podemos fazer e controlando o que podemos controlar”, contou o lutador.

Em rota de colisão com o Ultimate desde 2020, Jones voltou a expor sua insatisfação com a companhia no mês passado, quando Francis Ngannou derrotou Stipe Miocic e se tornou o novo campeão dos pesados. Aproveitando o momento, ele deixou claro que só disputaria o título da categoria contra o camaronês caso recebesse uma valorização financeira. A declaração não foi bem vista por Dana White, presidente do UFC, que fez críticas e chegou a ser irônico, dizendo que “Bones” estaria com “medo” de encarar Ngannou.

Apesar do momento de tensão com Dana visando receber melhores pagamentos por parte do Ultimate em suas próximas lutas, Jon Jones reforçou que vem se preparando para chegar bem fisicamente à categoria peso pesado e, possivelmente, encarar Francis Ngannou, que vem embalado por cinco vitórias consecutivas.

“No momento, estamos apenas treinando. Estamos focando apenas nas coisas que podemos controlar, que é estar na melhor forma possível. Acho que só entrar em forma vende a luta ainda mais. As pessoas querem ver dois titãs, o Francis Ngannou já é um titã, e eu estou tentando me tornar um titã. Quero parecer um titã, quero ser do mesmo tamanho que esse cara, se não maior, quando chegarmos lá. Tenho muito trabalho a fazer. Tomara que a luta aconteça”, afirmou o americano, que destacou ainda que não tem pressa em estrear na divisão e esclareceu que sua meta não está direcionada em enfrentar “apenas” Ngannou.

“Não existe um plano alternativo. Se vou lutar com Francis pelo título, se vou lutar com Derrick Lewis pelo título, se sou a terceira ou quarta defesa de título de Francis, isso realmente não importa para mim. Meu objetivo é ser campeão dos pesos pesados e o adversário não importa. O mês não importa. Estamos apenas nos preparando e acreditamos que o bem prevalecerá”, concluiu Jon Jones, atualmente aos 33 anos de idade.