Os atletas de Jiu-Jitsu, especialmente os faixas coloridas, ganharam mais um palco especial no calendário de competições. Em sua quinta edição, realizada no último sábado, na academia DC Fighters, o Desafio Warriors exibiu 46 lutas, sendo duas sem quimono, com competidores da faixa-amarela até a marrom. Vale ressaltar que o evento foi realizado com todas as medidas de proteção contra a Covid-19 exigidas pelo Ministério da Saúde.

Responsável pela organização do evento, Marcio De Deus detalha a importância do Desafio Warriors no início de carreira dos jovens atletas e até os mais experientes, caso dos faixas-marrom que fizeram parte do plantel.

“Sei o quanto é difícil buscar um lugar ‘ao sol’ dentro do Jiu-Jitsu e por isso criamos um evento que ajuda a dar visibilidade. É apenas uma luta, muita mídia em cima e uma premiação bacana. Os atletas e professores são tratados com o respeito que merecem. Nossa missão é colaborar com o crescimento do Jiu-Jitsu e revelar novos talentos do esporte. Todo mundo teve sua luta transmitida ao vivo e pode garantir boas fotos também. Eu cuidei disso tudo”, conta o popular MD.

O torneio teve transmissão ao vivo com dois comentaristas, fotógrafos profissionais e postagens na rede social em tempo real. Em sua visão, os eventos de Jiu-Jitsu precisam e devem usar todos os meios digitais para promover o show e os atletas.

“O mundo é digital e não podemos ignorar isso. Estou me inspirando em grandes eventos de sucesso no Brasil, Estados Unidos e Europa. Estamos fazendo o que grandes eventos fazem, cobertura em tempo real via Instagram, fotografia profissional e transmissão ao vivo. Nesse evento, que foi a quinta edição do Desafio Warriors, tivemos pela primeira vez comentaristas na transmissão. Quem não é visto não é lembrado. A mídia é fundamental para o atletas e para o crescimento do evento”, comenta Marcio.

O faixa-preta Marcio aproveitou para destacar, na sua visão, os destaques do evento, além de projetar melhorias para as próximas edições.

“Tivemos várias lutas incríveis! No infanto-juvenil, destaco o Vitor Andrew (Infight), que teve a finalização mais rápida do evento, ele finalizou o adversário com apenas 10 segundos de luta. Teve a Ana Luiza (Infight), essa menina é um baita talento. A luta sem quimono entre o Carlos Alexandre e o Jeferson Santos foi uma verdadeira guerra, foi lindo de se ver”, encerrou.