Para ter resultados mais expressivos e um bom desempenho na hora do treino de Jiu-Jitsu é imprescindível ter uma boa alimentação. É exatamente isso que a casca-grossa Nathiely Jesus, atual campeã mundial ouro duplo pela IBJJF, faz há 3 anos. A faixa-preta teve uma mudança de hábitos alimentares desde que passou a ser acompanhada por Nathalia Chantre, nutricionista especializada em atletas de arte suave.

Nathalia, também praticante de Jiu-Jitsu, contou como a nutrição pode ser um aliado essencial para os atletas. Para ela, alguns lutadores não imaginam que o acompanhamento vai além da perda ou ganho de massa muscular: “Alguns atletas não têm a menor ideia do que esteja por trás da nutrição, eles pensam que procurar um profissional de nutrição está relacionado a perda de peso ou ganho de massa muscular, mas vai muito além disso. Quando um atleta tem um acompanhamento nutricional ele, além de melhorar hábitos alimentares, melhora também o funcionamento do sistema imunológico, minimiza os riscos de lesões articulares e musculares, favorece a resposta adaptativa do treino bem como o ganho de performance esportiva. Ele também melhora o sono e o trânsito intestinal, melhora a recuperação muscular entre as sessões de treinamento. Todos esses são fatores que podem levar o atleta ao topo do pódio ou tirá-lo a tão desejada vitória”, destacou Nathalia, nutricionista certificada pela International Sports Sciences Association.

Nathiely, em 26 de fevereiro de 2021, fez história ao ser a primeira mulher a vencer Gabi Garcia em disputas com e sem quimono, fato que parecia impossível durante anos dentro do cenário do Jiu-Jitsu. Mas a vitória de Nathy começou antes de medir forças no Who’s Number One, no Texas (EUA), como citou Nathalia.

“Nós sabíamos que a luta do F2W, pela disputa de cinturão contra a Gabi Garcia, ia acontecer. E antes mesmo de fechar, começamos a melhorar a composição corporal com ajustes nutricionais. Quando a luta foi marcada para o dia 26 de fevereiro, a composição corporal dela já estava muito melhor, o que impacta diretamente na performance do atleta. Eu sempre acompanho a periodização de treino, tanto de Jiu-Jitsu, como físico. Na segunda luta contra a Gabi, já no WNO, contei com o auxílio do preparador físico Ítallo Vilardo durante a preparação da Nathiely”, detalhou a nutricionista, antes de comentar os alimentos que foram importantes no plano nutricional da faixa-preta no camp para enfrentar a multicampeã da Alliance:

“Eu sabia que ela teria volume e carga de treino intensos, principalmente, no início da periodização de treinamento. Na periodização nutricional, eu priorizei alimentos que ajudariam na resposta adaptativa do treino, bem como na recuperação entre as sessões de treinamento. Ela consumiu suco de tart cherry, suco de uva, melancia, chá verde e frutas vermelhas. A suplementação de creatina foi super importante ao longo do camp, pois melhora a tolerância ao esforço, recuperação muscular e a resposta adaptativa do treino”.

Nathalia também explicou que ela faz um plano alimentar de acordo com alguns desejos dos respectivos lutadores. Nathiely, por exemplo, prefere fazer o primeiro treino do seu dia em jejum, o que fez com que sua nutricionista traçasse uma estratégia que possibilite a faixa-preta pode ter um jantar rico em calorias.

“A Nathy prefere treinar em jejum, ela consome apenas café. O cuidado com as 24h que antecedem ao treino da manhã redobram, pois ela precisa ter substratos energéticos para performar com excelência durante o treinamento. Portanto, o pré-treino da manhã será seu jantar da noite anterior que sempre será acompanhado de boas fontes de carboidrato. Para o jantar da Nathy, optei por arroz, feijão, batata e mandioca, pois são alimentos de boas fontes de carboidrato. Ela também tem prazer em comer vegetais, sente-se muito bem com esses alimentos. Ela teve mudança nos hábitos alimentares. Antes, por exemplo, a campeã era habituada a consumir nas refeições principais apenas alimentos ricos em carboidrato e proteína. Isso é um erro de muitos atletas. A disciplina dela facilitou muito meu trabalho”, apontou.

A nutricionista ainda aproveitou para citar os pontos que dá mais atenção durante a reta final de preparação de um atleta de Jiu-Jitsu para uma importante competição. A suplementação é um deles: “Estou sempre de olho na hidratação, que é um dos pontos que pode comprometer a performance do atleta. Então sempre lembro que o mínimo que deve consumir é: seu peso x 35ml. Temos que acrescentar toda água que foi perdida no treino, além dos sais minerais, e os isotônicos entram no pós treino também. Como o meu contato com o atleta é bem próximo, nos falamos diariamente, a margem de erro é quase nula. Estou sempre de olho nos detalhes e ajustando conforme as necessidades do atleta. Sempre falo que suplementação é a cereja do bolo, a base tem que ser um plano alimentar bem estruturado. No entanto, estamos falando de uma atleta de alta performance e algumas vezes, se faz necessário a suplementação. No caso da Nathiely, para a última luta, além da creatina e cafeína, utilizamos beta alanina, krill oil, vitamina D3, COq10 e magnésio. Ela chegou na fase pré-competitiva sem lesões, se sentindo forte e pronta para a disputa. Tudo deu certo e o resultado vocês já sabem: uma luta de altíssimo nível, atuando com excelência e não só venceu a luta, como se tornou a primeira atleta a vencer Gabi Garcia com e sem quimono”, encerrou a renomada nutricionista.

Nathalia, que faz pós graduação em Nutrição, Metabolismo e Fisiologia no esporte, acompanha atletas como Manuel Ribamar, Matheus Gabriel, Gabriel Sousa, Diego Ramalho, Thalison Soares, Paulo e João Miyao.