Invicto no MMA, com nove vitórias, Khamzat Chimaev se tornou “sensação” no UFC em 2020 ao emplacar três vitórias, sendo duas delas em um espaço de apenas 10 dias. No entanto, no final do ano passado, o russo radicado na Suécia precisou lidar com seu pior “adversário” até o momento: a Covid-19. O lutador chegou a ter sua luta marcada contra Leon Edwards em três oportunidades, mas a organização precisou cancelar o confronto justamente por complicações causadas pelo vírus.

As sequelas foram tão presentes que Chimaev, inclusive, chegou a flertar com a aposentadoria do MMA. Agora, recuperado do coronavírus, o atleta de 26 anos revelou, em entrevista à ESPN americana, que precisou fazer uma cirurgia para que pudesse respirar melhor. Segundo ele, o procedimento foi necessário para reparar um problema justamente causado pela Covid-19.

“Ninguém sabia sobre isso, só minha mãe, meus irmãos e meu empresário. (A cirurgia) foi algo para me ajudar a respirar melhor. Eu estava com sérios problemas para respirar durante os treinamentos. Eu conseguia me mexer, mas quando eu respirava, tinha febre, sentia dor no meu peito. Em um dos treinamentos, falei para o meu treinador que me sentia mal, aí eu me mexi para baixo e tiveram que chamar a ambulância para me atender. Isso aconteceu duas vezes. Uma delas foi depois do treino e a outra eu estava em casa”, narrou Chimaev, que admite o erro ao ter treinado enquanto o recomendado era ficar em repouso, se recuperando do coronavírus.

“Foi algo difícil para mim. Se você está doente, você não pode pensar em lutar. A culpa foi minha. Eu errei, porque me disseram para não treinar com ninguém e eu desobedeci isso. Quando ia para alguma sessão de sparring, dizia ao meu empresário que só faria coisas leves, mas eu estava mentindo. Fiz três rounds de sparring e depois me senti muito mal, com dor no peito. Fiz um sparring duro com um ara e me senti mal demais. Fui para casa e o sangue começou a sair da minha boca”, relembrou o atleta, que compartilhou na época uma foto da pia do banheiro da sua casa com sangue.

Com a cirurgia realizada e melhor clinicamente, Khamzat Chimaev já voltou a treinar sem limitações e retomou o foco de sua carreira no MMA. Sem lutar desde setembro do ano passado, quando nocauteou Gerald Meerschaert em apenas 17 segundos de combate, o sueco pretende retornar no segundo semestre e garantiu que está focado para voltar à ativa em sua caminhada rumo ao cinturão do UFC.

“Agora, me sinto muito melhor. Mal posso esperar. Estou com mais de 93kg, me sentindo mais forte. Eu acabei de começar a treinar com minha equipe e vou encontrar um adversário para ‘matar’. Estou saudável, faminto. Quero voltar, amassar todo mundo e ganhar dinheiro. Eu fiz apenas três lutas no UFC. Não mostrei quem eu sou. Agora, preciso mostrar às pessoas quem eu sou, amassar todos e pegar meu cinturão. Sou o Mike Tyson do MMA, o Muhammad Ali do MMA. Vou provar isso”, garantiu.