TATAME PLAY: vivendo a melhor fase da sua carreira, Vicente Luque celebra vitória sobre Woodley e cogita enfrentar Colby Covington

* Atualmente em sexto lugar no ranking meio-médio do Ultimate, Vicente Luque vive a sua melhor fase na organização. Com três vitórias seguidas, o brasileiro teve como última vítima o ex-campeão Tyron Woodley. Pelo co-main event do UFC 260, Luque não deu chances e, ainda no primeiro round, finalizou o americano com um justo triângulo de mão. Em entrevista à TATAME após o evento, o lutador analisou seu desempenho.

“A luta começou com muita ação, mas eu já esperava isso, ele vindo agressivo. Como ele (Woodley) está acostumado a lutar cinco rounds, e nosso duelo eram três, ele botou pressão desde o começo. Também previmos que ele ia apostar no Wrestling, aconteceu, e foi nessa hora que eu consegui inverter a posição e controlar melhor a luta. Quando a gente se separou ele até acertou uma direita muito boa, mas me mantive calmo, senti que ele ia vir com tudo. Nesse momento procurei uma brecha para contragolpear, acertei a direita e ele balançou. Depois foi só trabalhar com calma até encaixar a finalização”, explicou o brasileiro.

Sem pressa para retornar ao octógono, Vicente, aos 29 anos, será papai em breve, com o pequeno Bento vindo aí. Por conta disso e da atual situação da divisão dos meio-médios, com diversos combates importantes programados para os próximos meses, o natural de Brasília (DF) projetou voltar em agosto, e depois de ver seu desafio a Nate Diaz ir por “água abaixo” – o americano teve luta marcada contra Leon Edwards -, citou os nomes de Stephen Thompson e Colby Covington como possíveis adversários no Top 5.

“Eu chamei o Nate Diaz para lutar, porque só o nome dele já é forte, mas o estilo também me agrada muito, acho que casaria bem. Mas ele teve luta casada com o Leon Edwards, então agora não vai rolar. Por enquanto eu vou esperar um pouco, ver o desenrolar dos combates agendados, mas uma revanche com o Stephen Thompson, pra mim, seria interessante. Eu fiz três lutas (desde a derrota), venci todas, ele só fez uma, então não sei como ficaria para ele. Outro nome é o do Colby Covington, mas ele é bem difícil de lutar”, disse.

Ao longo do bate-papo, que você assiste na íntegra no vídeo acima, Vicente Luque ainda revelou a vitória que, na sua opinião, supera a sobre Tyron Woodley, os planos – sem pressa – para chegar a uma disputa de cinturão no peso meio-médio, “trash talk” e os exemplos dos compatriotas Charles do Bronx e Gilbert Durinho.

* Por Diogo Santarém