A curiosa disputa de Boxe entre Jake Paul e Ben Askren aconteceu no último sábado (17), em Atlanta, nos Estados Unidos, em evento promovido pela “Triller Fight Club” e serviu para ressaltar que, de fato, a trocação está longe de ser a melhor arma do ex-lutador do UFC e ex-campeão do ONE Championship. O confronto gerou grande repercussão, no entanto, durou apenas um round, mais precisamente um minuto e dez segundos, tempo necessário que o YouTuber precisou para nocautear Askren.

Desde o início, além da maior envergadura, Paul se mostrou superior em outras valências, como o jogo de pernas e o trabalho envolvendo combinações de jab e direto. Foi numa simples combinação de golpes que Jake acertou Ben Askren com um potente soco, levando o ex-UFC a cair com o rosto no solo, seminocauteado. O americano, oriundo do Wrestling, ainda tentou voltar para a luta, mas o árbitro central interrompeu, alegando que Askren não tinha mais condições para continuar no confronto. Sendo assim, Jake Paul foi declarado vencedor por nocaute e segue invicto no Boxe profissional, agora com três vitórias.

Outro destaque do evento, que teve comentários de Snoop Dog e Oscar de La Hoya, além de shows de Justin Bieber e da banda Major Lazer, foi a bolsa que Jake Paul e Ben Askren receberam pelo combate. Enquanto o YouTuber faturou US$ 690 mil (mais de R$ 3,8 milhões), o ex-atleta do Ultimate ficou com US$ 500 mil (quase R$ 2,7 milhões).

Ex-campeão peso-pesado do UFC, Mir também perde

Além de Ben Askren, outro ex-lutador do UFC que também esteve em ação no evento de Boxe foi Frank Mir. Fazendo sua estreia na nobre arte, o ex-campeão peso-pesado do Ultimate teve pela frente o duro Steve Cunningham, ex-campeão mundial cruzador pela IBF (Federação Internacional de Boxe) e, ao contrário de Askren, mostrou-se competitivo, levando a luta até o final.

Apesar do esforço, o veterano do MMA, cerca de 30kg mais pesado em relação ao adversário, não foi páreo para a velocidade apresentada por Cunningham, que somada ao bom jogo de pernas, foi determinante para ser claramente superior e sair com o triunfo na decisão dos árbitros (60-54, 60-54, 58-56) depois de seis rounds de confronto.