Em ação no UFC Vegas 26, Diego Ferreira faz planos para 2021: ‘Que seja o melhor ano da minha carreira’

Publicidade

* Integrante do plantel do UFC desde 2014, Carlos Diego Ferreira vinha embalado por uma ótima sequência de seis vitórias, sendo uma delas sobre o ex-campeão peso-leve Anthony Pettis. No entanto, em sua última apresentação, em fevereiro deste ano – depois de mais de um ano sem lutar -, o brasileiro acabou sendo derrotado por Beneil Dariush na decisão dividida dos jurados e viu seu bom momento na organização chegar ao fim. Disposto a retomar o caminho dos triunfos, o lutador retorna ao octógono neste sábado (8), no card principal do UFC Vegas 26, em Las Vegas (EUA), onde terá pela frente o americano Gregor Gillespie.

12º colocado no ranking peso-leve do Ultimate, o amazonense sabe da importância da vitória e, mesmo aceitando a luta com poucas semanas de antecedência, garantiu estar pronto e bem treinado para ir em busca do resultado positivo. Com 36 anos e um cartel de 17 vitórias e apenas três derrotas no MMA profissional, o casca-grossa conversou com a TATAME e exaltou o camp para o confronto diante de Gillespie.

“Eu me preparei bastante, principalmente por conta da última derrota (para Beneil Dariush). Procurei ajustar os erros cometidos na última luta, algumas coisas que precisei melhorar. Coloquei a cabeça em dia e dei uma atenção maior no Jiu-Jitsu e, principalmente, em competir, em lutar mais, ser mais ativo. Quero lutar o máximo esse ano e, para isso, fiz um camp puxado. Peguei a luta com três semanas de antecedência, mas já estava bem treinado, com o peso ok. O camp foi muito bom, sem nenhum tipo de lesão. Estou animado e disposto a fazer de 2021 o melhor ano da minha carreira”, projetou o casca-grossa.

Ao longo do bate-papo, o faixa-preta de Jiu-Jitsu fez uma breve análise do seu adversário, que vem de revés para Kevin Lee, falou sobre a derrota sofrida para Beneil Dariush e a sua vontade em fazer mais lutas em 2021 e, consequentemente, alçar voos maiores dentro da categoria peso-leve.

Confira outros trechos da entrevista com Diego Ferreira:

– O que espera do adversário e qual será sua estratégia no combate?

Sei que ele vai tentar entrar nas minhas pernas e tentar me colocar para baixo, porque foi justamente o que aconteceu na minha última luta. Acho que ele vai tentar ficar por cima, no ground and pound, é uma coisa que ele faz muito. Vou tentar fazer o meu jogo também, utilizar meu Boxe e meu Muay Thai para vencer, pois estou precisando bastante. Também vai ser interessante testar um pouco do meu Jiu-Jitsu contra ele. Vamos ver se essa brecha vai aparecer durante a luta.

– Derrota sofrida para Beneil Dariush na última luta

É difícil, muitas coisas passaram na minha cabeça. Mas eu estava tentando finalizar a luta antes mesmo dela começar. Tentei finalizar o Beneil Dariush várias vezes, fiz inúmeras transições, mas não consegui finalizar. Ele fez um bom plano, traçou uma boa estratégia. Também quase consegui o nocaute, mas faltou um pouco mais de pegada na mão, até procurei trabalhar bastante nisso para essa luta de sábado, assim como o Wrestling e Jiu-Jitsu. Procurei melhorar nesses pontos e vou tentar mostrar toda minha evolução contra o Gillespie.

– Já é sua segunda luta em 2021. O que espera mostrar este ano?

Estou muito animado e ansioso. Quero ver o quanto posso mostrar. Peguei essa luta contra o Gregor Gillespie em cima da hora, mas eu estava num bom ritmo, bem treinado em todas as áreas. Em 2021 quero estar no meu auge competitivo. 2020 foi difícil demais para todo mundo, em todos os sentidos, com perda de familiares e amigos, além de todas as dificuldades provocadas pela pandemia. Mas, graças a Deus, muitos lutadores estão voltando e eu também. Só quero melhorar e lutar o máximo possível. Se eu estiver no peso e pintar uma luta em cima da hora, eu aceito. Gosto desse tipo de desafio na minha vida e quero lutar bastante este ano, estarei preparado para isso.

– Como avalia seu atual momento dentro do UFC?

Esse ponto em que estou na categoria é difícil de analisar. Eu quero lutar, amo isso, mas em uma luta você enfrentar um lutador bem ranqueado, e na outra você encara um cara que vem abaixo de você. Acho que para conseguir um atleta melhor ranqueado, eu sei que vou precisar vencer essa luta no sábado e, provavelmente, mais uma depois. O Gillespie é um cara duro, mas o nome dele não é forte o bastante para me colocar lá em cima. Por isso, mesmo vencendo, acho que vou precisar enfrentar mais um que esteja abaixo de mim no ranking. Quero buscar o topo. Quero, até o final do ano, chegar perto do Top 5, esse é meu plano. Estou há muitos anos no UFC e eu gostaria de fazer uma luta grande com alguém, assim como foi contra o Anthony Pettis. Vamos dar o máximo para atingir esse objetivo.

CARD COMPLETO:

UFC Vegas 26
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 08 de maio de 2021

Card principal (21h, horário de Brasília)
Peso-mosca: Marina Rodriguez x Michelle Waterson
Peso-meio-médio: Donald Cerrone x Alex Morono
Peso-meio-médio: Neil Magny x Geoff Neal
Peso-pesado: Maurice Greene x Marcos Pezão
Peso-leve: Carlos Diego Ferreira x Gregor Gillespie
Peso-palha: Amanda Ribas x Angela Hill

Card preliminar (19h, horário de Brasília)
Peso-médio: Phil Hawes x Kyle Daukaus
Peso-pena: Ludovit Klein x Mike Trizano
Peso-médio: Jun Yong Park x Tafon Nchukwi
Peso-meio-médio: Christian Aguilera x Carlston Harris

* Por Mateus Machado

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade