A estreia de Luana Pinheiro no Ultimate, no último sábado (1), diante de Randa Markos no card do UFC Vegas 25 vinha acontecendo de forma satisfatória, com a brasileira claramente superior à sua adversária. No entanto, ainda no primeiro round, enquanto ambas estavam no solo, a atleta da Nova União recebeu um golpe ilegal (pedalada) e não teve mais condições de continuar no combate. Com isso, o árbitro optou por decretar a vitória de Luana por conta da desqualificação da canadense.

Ao mesmo tempo em que o estado da brasileira gerou preocupação por parte dos fãs, algumas críticas surgiram de pessoas que classificaram como “exagerada” a reação da paraibana, inclusive Randa Markos, que acusou Luana Pinheiro de “encenar” e “fugir da luta”. Após alguns dias de silêncio, Luana se pronunciou em suas redes sociais e, apesar de não falar diretamente sobre o ocorrido, esclareceu que está bem e aproveitou para agradecer o apoio dos seus fãs.

“Fala, galera! Passando aqui para, primeiramente, dizer que estou bem! Segundo, quero agradecer o suporte de todos, tanto antes, quanto depois da luta. Quero agradecer a toda minha equipe que trabalhou muito junto comigo para chegarmos na nossa melhor versão para essa luta. (…) Ninguém queria essa vitória mais do que eu, e ninguém sente mais do que eu pelo desfecho da luta. Imaginei mil possibilidades do meu braço terminar erguido e nenhuma delas foi da forma que acabou acontecendo. Mas independentemente do desfecho não ter sido como queria e como trabalhei para isso, estou feliz por todo trabalho que fiz para chegar bem preparada para a luta. Vou trabalhar muito para continuar buscando minha evolução e trazer minha melhor versão nos próximos desafios. Obrigado por tudo e vamos que vamos, que ainda temos muito caminho para caminhar”, escreveu Luana, que aumentou seu cartel profissional no MMA para nove vitórias e apenas uma derrota.

Michael Bisping sai em defesa de Luana

O desfecho da luta entre Luana Pinheiro e Randa Markos provocou polêmica e muita repercussão nos bastidores do MMA. Dessa forma, até mesmo Michael Bisping, ex-campeão peso-médio do UFC, tomou conhecimento do assunto e se posicionou. Atualmente aposentado do MMA, o inglês falou sobre o caso em seu podcast, “Believe You Me”, e saiu em defesa da brasileira, ressaltando que a atleta estava melhor no duelo e que, por isso, não precisava “inventar” uma lesão. Bisping foi além e ainda afirmou que quem merecia receber críticas é o atleta que aplica o golpe ilegal, no caso, Randa Markos.

“Muitas pessoas estão sugerindo que ela atuou e acho isso um pouco injusto. Falei com algumas pessoas e elas pensaram que ela estava ferida e algumas pessoas disseram que ela exagerou. Ela levou uma pedalada no rosto, estava no caminho para a vitória antes da desqualificação. Ela estava fazendo sua estreia no UFC depois de uma atuação impressionante no Contender, dominava a luta e isso aconteceu. Então, o médico aparece e ela disse algo que aludia ao fato de que não tinha certeza de onde estava ou o que estava acontecendo”, disse Bisping, prosseguindo logo na sequência.

“O fato é que ela estava ganhando, dominando a luta e foi atingida por um golpe ilegal, que claramente a atingiu com força suficiente para derrubá-la. Fingindo ou não, isso foi iniciado por um chute ilegal no rosto, que não é sua obrigação continuar. Como um fã, você quer ver luta. Como um lutador, não é assim que você quer vencer. Ela levou um golpe ilegal, estava machucada e se o árbitro desqualificar o oponente, não é sua culpa. Você não deve receber críticas por isso, porque você não foi você que fez o movimento ilegal”, encerrou.