A polêmica luta principal da PFL, na noite de quinta-feira (6), segue com os seus desdobramentos. Fabrício Werdum encaixou um triângulo em Renan Problema, que aplicava golpes no ground and pound. O goiano, neste momento, parece dar dois “tapinhas”, como se estivesse desistindo, então, “Vai Cavalo” solta a posição. O árbitro não paralisou, a luta seguiu e Renan conquistou o nocaute técnico na sequência do embate.

O gaúcho confirmou que vai entrar com um recurso na Comissão Atlética de New Jersey para reverter o resultado e ficar com os pontos na temporada regular. Ao site Super Lutas, o ex-campeão do UFC confirmou que vem recebendo suporte da PFL neste momento e garantiu que o resultado será alterado em breve.

“Já está tudo certo (mudança do resultado). O resultado vai sair em breve. Na hora que eles levantaram o braço dele, tinha que fazer pela TV. Precisa ter o resultado na hora. A gente está entrando com uma apelação para poder mudar, porque todo mundo viu que (a vitória dele) não foi verdade. (Será) vitória minha, já que ele bateu. Não tenho problema de perder, mas preciso perder de verdade. Ele foi sujo e sabe disso”, disparou.

Ao mesmo portal, Werdum, que descartou a possibilidade de uma revanche entre os dois, detalhou o motivo de soltar o triângulo e chamou a atitude do compatriota de “trapaça”: “Eu aliviei quando ele bateu no meu ombro. Como estou acostumado com o Jiu-Jitsu, é normal a gente soltar. Eu estava atacando o braço e o pescoço, como fiz com o Fedor (Emelianenko), que bateu só uma vez e eu já soltei. Acho que o juiz não estava bem posicionado, mas o que conta muito também é o caráter do Renan (Problema). Ele tem muito pela frente e vai ficar feio para ele, pois todo mundo viu que ele bateu mesmo. Então, foi uma trapaça. Ele foi muito mau-caráter. Ele viajou de ter continuado após ter batido e sabe disso”, concluiu o experiente Werdum.

Renan Problema se defende

Renan conversou com o Portal do Vale-Tudo sobre toda essa polêmica. O goiano garantiu que, em nenhum momento, bateu em forma de desistir do combate e que apenas “passou a mão” para se posicionar.

“Eu estava em uma posição, tinha encaixado o golpe e estava na lateral. Estava golpeando bem a cabeça dele e em momento algum eu bati. Estava procurando me posicionar, estava todo contorcido e estava caçando a posição melhor para bater. Ele sabe que quem para a luta é o juiz. Você vê que a minha mão vai para cima da cabeça dele, continuou golpeando. Ele não solta a minha cabeça”, argumentou Renan.