Após longa novela, André Galvão vai defender o seu título da superluta no ADCC em 2022. O hexacampeão do torneio tinha levantado a hipótese de se aposentar de vez das competições, mas as negociações com a organização avançaram e foram fechadas no dia primeiro de maio. O líder da Atos não fez qualquer exigência para assinar o contrato e vai lutar independente do adversário. A informação é da FloGrappling.

O acordo entre Galvão e o ADCC também foi feito antes de Gordon Ryan – que é o vencedor do absoluto de 2019 e tem o direito de enfrentar o brasileiro – anunciar que estava se afastando por tempo indeterminado do esporte para tratar uma doença rara no estômago, que segundo ele, não tem um diagnóstico exato.

“Estou muito animado em anunciar que André Galvão fará a superluta do ADCC em 2022. A verdade é que o Galvão aceitou essa luta no dia 1º de maio, optamos por não liberar naquela época. Faltando mais de um ano para o ADCC 2022, estou confiante de que veremos André Galvão enfrentar Gordon Ryan no maior evento de grappling de todos os tempos”, disse Mo Jassim, presidente do ADCC, em contato ao site FloGrappling.

A luta entre Galvão e Gordon vem ganhando cada vez mais hype desde 2019, quando o brasileiro defendeu o cinturão na superluta do ADCC contra Felipe Preguiça e o americano faturou o título do absoluto. Em fevereiro deste ano, durante uma edição do Who’s Number One, os dois se envolveram em uma confusão. Após se provocarem pelas redes sociais, o clima esquentou no evento e Galvão chegou a encarar americano, como aparece em vídeos que circularam nas redes sociais. Gordon, então, deu dois tapas no rosto do líder da Atos.