* Sem lutar desde agosto do ano passado, quando foi derrotado por Andrew Sanchez por nocaute no primeiro round, Wellington Turman está pronto para voltar a entrar em ação e retomar o caminho das vitórias na organização. O brasileiro terá pela frente o compatriota Bruno Blindado no card do UFC Vegas 29, que será realizado no próximo sábado (19), no UFC Apex, em Las Vegas, nos Estados Unidos, e vai em busca do seu segundo triunfo lutando pela maior franquia de MMA do mundo.

Lutando pelo plantel do Ultimate desde 2019, Turman passou por um 2020 difícil. Além do revés sofrido para Sanchez, o curitibano foi acometido pela Covid-19 e, por conta das consequências do vírus, demorou alguns meses para voltar a treinar normalmente. Em entrevista à TATAME, Wellington, que também teve seu contrato renovado com o UFC no ano passado, contou detalhes sobre o período delicado que atravessou.

“Demorei cinco/seis meses para voltar ao normal e tive duas lutas canceladas nesse período, foi uma fase bem difícil. É uma doença nova, você não sabe o que está rolando e eu não estava treinando como antes. Meu pulmão estava muito ruim, sentia dores, falta de ar e tossia bastante. Graças a Deus, agora estou muito melhor, voltei ao normal e minha parte física está melhor que antes. Estou com um novo preparador físico e fizemos um trabalho incrível, comecei a fazer coisas que eu não fazia antes e, com certeza, me vejo melhor nessa parte. Tecnicamente, tive muito tempo para me preparar também, então melhorei muito, trabalhei em cima das minhas falhas, minha parte de chão, onde perdia algumas posições, também melhorei minha trocação e meu trabalho de quedas. Mentalmente, estou muito feliz, fazendo o que eu amo, e é isso que importa”, disse o lutador, que possui um cartel de 16 vitórias e quatro derrotas no MMA profissional.

Confira outros trechos da entrevista com Wellington Turman:

– Preparação para a luta contra Blindado e recuperação pós-Covid

A última luta foi em agosto, um bom tempo sem lutar. Meu contrato foi renovado logo depois, mesmo vindo de derrota, isso mostra que o UFC confia bastante no meu potencial e sabe que tenho muita coisa para mostrar ainda. Minha preparação foi muito boa. Infelizmente, depois da minha última luta, tive Covid-19 e passei por algumas complicações. Demorei cinco/seis meses para voltar ao normal e tive duas lutas canceladas nesse período, foi uma fase bem difícil. É uma doença nova, você não sabe o que está rolando e eu não estava treinando como antes. Meu pulmão estava muito ruim, sentia dores, falta de ar e tossia bastante. Graças a Deus, agora estou muito melhor, voltei ao normal e minha parte física está melhor que antes. Estou com um novo preparador físico e fizemos um trabalho incrível, comecei a fazer coisas que eu não fazia antes e, com certeza, me vejo melhor nessa parte. Tecnicamente, tive muito tempo para me preparar também, então melhorei muito, trabalhei em cima das minhas falhas, minha parte de chão, onde perdia algumas posições, também melhorei minha trocação e meu trabalho de quedas. Mentalmente, estou muito feliz, fazendo o que eu amo, e é isso que importa.

– O que espera do combate contra Blindado

A gente estudou bastante o jogo do Blindado. Ele é um cara mais da trocação, que busca mais o nocaute, e eu sou um cara mais do Jiu-Jitsu, então vejo que vai ser um duelo de estilos, onde cada um vai buscar seu jogo, então vamos ver qual vai encaixar melhor. Estou pronto para tudo… Para trocar porrada, trocar quedas, para lutar no chão, e tenho certeza que vai ser uma grande luta para o público.

– Trajetória no UFC até o momento e lições tiradas do período na organização

Já são três lutas no UFC e eu entrei bem novo, com 22 anos. Sempre fui amadurecido, mas podemos melhorar com o tempo. Melhorei como atleta e pessoa, porque quando somos jovens, fazemos algumas besteiras e levamos isso como aprendizado. Levo minhas derrotas como lição e, com certeza, aprendi com elas, não vou cometer esses erros novamente. Me vejo hoje em dia como um atleta melhor, mais completo, mais bem treinado e mais forte fisicamente. Sempre busco evoluir, sou jovem e, certamente, me sinto um atleta melhor do que na época em que entrei no UFC, e vou buscar evoluir ainda mais. Estou me tornando um atleta cada vez mais perigoso para os meus adversários.

– Onde você mais considera que evoluiu para essa luta de sábado?

Sempre falei que um atleta de MMA precisa ser completo e estou sempre tentando evoluir. Para essa luta, vejo que melhorei na parte física, principalmente porque treinei de preparador e vejo que fizemos um trabalho excelente. Sofri muito, tive que me adaptar a uma nova rotina de treinos e no começo foi complicado. Estou em busca de evolução, em aprender coisas novas, então podem ter certeza que tenho muito a melhorar ainda.

– Sonho em estar no UFC e planos de ser campeão

O UFC é um sonho desde que comecei a treinar. Há uns dias, estava vendo nas redes sociais uma publicação do dia que fui num UFC no Rio de Janeiro, com meu amigo Luan Chagas, e eu tinha colocado que eu ainda iria trabalhar nessa empresa e cá estou. Todo mundo quer entrar no UFC, mas não sabe o quanto é difícil. Tão difícil quanto entrar é se manter lá dentro. Então quero voltar a vencer, engatar uma sequência boa de lutas e de vitórias. Não escondo que meu sonho é o cinturão, mas no momento, estou focado em vencer o Blindado. Essa é a luta da minha vida no momento, então estou pronto para vencer bem, ir construindo minha carreira e, um dia, trazer o cinturão para minha casa. Todos os meus sonhos estão alinhados ao UFC. Estando lá, consigo realizar grandes sonhos, que é ter uma vida melhor, dar uma vida mais confortável para minha família. Vou em busca disso e estou pronto para retomar o caminho das vitórias no sábado. Estou trabalhando muito para isso.

CARD COMPLETO:

UFC Vegas 29
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 19 de junho de 2021

Card principal (20h, horário de Brasília)
Peso-pena: Chan Sung Jung x Dan Ige
Peso-pesado: Alexey Oleynik x Sergey Spivak
Peso-galo: Marlon Vera x Davey Grant
Peso-pena: Julian Erosa x Seung Woo Choi
Peso-médio: Wellington Turman x Bruno Blindado
Peso-meio-médio: Matt Brown x Dhiego Lima

Card preliminar (17h, horário de Brasília)
Peso-meio-pesado: Aleksa Camur x Nicolae Negumereanu
Peso-palha: Kanako Murata x Virna Jandiroba
Peso-meio-médio: Khaos Williams x Matthew Semelsberger
Peso-pesado: Josh Parisian x Roque Martinez
Peso-leve: Netto BJJ x Rick Glenn
Peso-mosca: Casey O’Neill x Lara Procópio

* Por Mateus Machado