Aposentado do MMA desde o ano passado, Anderson Silva deu provas de que ainda tem bastante lenha para queimar. Neste sábado (19), o “Spider” fez seu retorno ao Boxe após mais de 15 anos e, diante de Julio Cesar Chavez Jr, ex-campeão mundial da modalidade, saiu vitorioso na decisão dividida dos jurados após oito rounds de combate. No auge dos seus 46 anos, o brasileiro teve grande desempenho – superando um adversário 11 anos mais novo – e mostrou que pode continuar a sua trajetória na nobre arte.

O confronto teve início até certo ponto estudado, com ambos adotando uma postura mais cautelosa. No entanto, não demorou muito para Anderson Silva mostrar o estilo que o consagrou no Ultimate. Agressivo e provocador ao mesmo tempo, a lenda do MMA relembrou os seus tempos de auge ao abaixar a guarda em determinado momento da luta e convidar o mexicano para atacá-lo junto às cordas do ringue. O jogo psicológico, aliado ao melhor preparo físico em relação a Julio Cesar foram primordiais para o triunfo, que veio até com certo domínio, apesar de os árbitros decretarem a vitória de Silva por decisão dividida.

Anderson passou a mostrar superioridade já a partir do segundo round, mas foi no terceiro e quarto assaltos que o ex-campeão peso-médio do UFC deu um verdadeiro show, absorvendo bem os golpes aplicados pelo mexicano e respondendo à altura, com combinações de cruzados, diretos e ataques no clinch, que em vários momentos forçaram Julio Cesar Chavez Jr a caminhar para trás. Nos rounds seguintes, o brasileiro manteve o seu domínio, e ciente da vantagem que conquistou durante o combate, passou a adotar um ritmo mais cadenciado, sem deixar de golpear, com destaque também para jabs muito bem colocados, além de precisos ataques em linha reta, que foram frustrando qualquer investida do ex-campeão mundial de Boxe.

No fim, o “Spider” foi declarado vencedor por 77 a 75 após oito assaltos e voltou a vencer uma luta, o que não acontecia desde fevereiro de 2017, quando ele derrotou Derek Brunson por unanimidade no UFC 208. Na nobre arte, vale ressaltar, o brasileiro estreou em 1998, sendo nocauteado, e sete anos depois triunfou no retorno.