Após se aventurar em combates no Kickboxing e também no Boxe sem luvas, Antônio Pezão, depois de quatro anos, fez seu retorno ao MMA no último domingo (13), na Sérvia, pela nona edição do evento “Megdan Fighting”. Sem lutar na modalidade desde 2017, o peso-pesado brasileiro acabou sendo nocauteado por Quentin Domingos no segundo round da luta principal, todavia, o confronto teve um desfecho polêmico.

O árbitro central considerou que Pezão não tinha mais condições de seguir na disputa e, dessa forma, interrompeu o duelo. O ex-lutador do UFC, no entanto, discordou claramente da decisão tomada pelo juiz, considerando precipitada, e através das redes sociais, expôs a sua insatisfação com o resultado final.

“Por que o árbitro parou a luta? Você treina meses, se abdica de muitas coisas, como alimentação, diversão e, às vezes, até mesmo família, para chegar 100% em uma luta. Aí, então, vem um árbitro e estraga todo trabalho árduo que você fez dia a dia. Perder ou ganhar faz parte, mas infelizmente algumas pessoas não sabem ou entendem do esporte  que está fazendo parte. Me mandaram esse vídeo onde dá para ter uma ideia que não houve motivo para o árbitro parar a luta”, escreveu o experiente atleta no Instagram.

Atualmente com 41 anos, Antônio Pezão contabiliza um cartel de 19 vitórias e 12 derrotas no MMA profissional. O lutador ficou conhecido pelos fãs por conta das suas passagem no Strikeforce e no UFC. Pelo Ultimate, ele lutou entre os anos de 2012 e 2016, e chegou a disputar o cinturão peso-pesado da organização, sendo derrotado por Cain Velásquez. Nos últimos anos, porém, o “Bigfoot” não vive boa fase e amarga uma série de cinco reveses seguidos. Seu último triunfo na modalidade aconteceu em 2015, sobre Soa Palelei, no UFC 190.

Confira abaixo a postagem de Pezão e o nocaute: