Um caso de racismo envolvendo o brasileiro Deiveson Figueiredo, campeão dos moscas, marcou a coletiva de imprensa do UFC 263, realizada na quinta-feira (10). O argentino Marcelo Rojo, peso-pena do Ultimate e treinador de Brandon Moreno, que vai desafiar o paraense, substituiu o rosto de “Daico” por um macaco.

O técnico usou várias vezes imagens do brasileiro com rosto de macaco nas redes sociais e até mesmo fotos de macaco se referindo ao brasileiro. Seguidores de Rojo atacaram o brasileiro com palavras e expressões de cunho racistas. O treinador chegou a provocar: “Vamos ensinar a ele quem é o durão de verdade”

O treinador seguiu seus ataques e fez referência às declarações do presidente argentino Alberto Fernández nesta semana durante um encontro com o primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez. O chefe de estado da Argentina deturpou uma frase do escritor mexicano Octavio Paz e disse: “Os mexicanos vieram dos índios, os brasileiros vieram da selva, mas nós, os argentinos, chegamos em barcos que vinham da Europa”.

Rojo apagou as postagens das redes sociais e emitiu um comunicado em seu perfil no Instagram (confira abaixo) pedindo “desculpas a quem se sentiu ofendido” e que a intenção “não era ofender ninguém”. O UFC não se pronunciou sobre o caso de racismo, assim como o campeão Deiveson e o desafiante Moreno.

Pedidos de desculpas do treinador (Foto: Reprodução)