João “The Diamond” Oliveira vem despontando no cenário mineiro de MMA há alguns anos como um dos grandes nomes do estado. Aos 23 anos, o lutador que é natural da cidade de Contagem (MG) acumula cinco vitórias em suas últimas sete lutas profissionais, segundo dados do site Tapology. João disputou recentemente o cinturão do evento Federação Fight contra Fernando Ben 10, em uma revanche, mas acabou superado. Porém, nada que desanime o jovem atleta em busca dos seus objetivos.

“Sempre luto para trazer a vitória e infelizmente não consegui na minha última apresentação, mas acredito que independente de vitória ou derrota, a fase de um lutador é medida pelo seu psicológico, então estou no meu melhor momento até hoje e isso ainda vai melhorar bastante. Acredito que o necessário para emplacar vitórias é me manter com a cabeça boa, fazer alguns ajustes técnicos e no meu corpo físico, assim vou estar em melhores condições para chegar na hora do combate e ter uma boa apresentação”, afirmou.

Assim como João, quem também começou muito cedo sua carreira no MMA foi Charles “Do Bronx” Oliveira. O brasileiro, que recentemente se consagrou campeão peso-leve do UFC, estreou na organização com apenas 20 anos de idade e, após muito persistir, alcançou o posto de melhor do mundo ao vencer Michael Chandler por nocaute técnico no último mês de maio. Ao ser questionado sobre o caminho percorrido pelo compatriota, “The Diamond” revelou a inspiração na trajetória de Charles até a conquista do título.

“Exatamente com 18 anos fiz a minha primeira luta profissional. Hoje tenho 23 anos, cinco lutando como profissional e 13 lutas. Adquiri alguma experiência nesse tempo e tenho certeza que as coisas que o futuro reserva para mim serão grandiosas. Só estou no começo da minha caminhada e o Charles certamente é um exemplo de que o trabalho correto é sempre recompensado, certamente tenho o objetivo de lutar no UFC e estou na estrada rumo a esse objetivo vivenciando todas as experiências. Fazendo o meu e sem perder tempo procurando atalhos, porque eles não existem”, completou o casca-grossa.

Além do Federação Fight, João ainda acumula algumas passagens pelo Jungle Fight, evento de grande prestígio no cenário brasileiro, e no qual o atleta soma quatro vitórias em cinco combates. Em 2020, o mineiro entrou em ação duas vezes ao todo. E após vencer Iure Leite de forma arrasadora no Jungle Fight 101, João conquistou o cinturão peso-pena do Gladiators Fight Night no fim do ano. Ambos triunfos por finalização.

Empolgado com a movimentação dos eventos do cenário nacional que, aos poucos, estão voltando em meio à pandemia, João se disse motivado por poder ser visto por um público ainda maior devido aos novos meios de transmissão: “Com certeza estou muito otimista, pois aos poucos os eventos estão voltando, mudando o formato e a maneira de se apresentar para os telespectadores. Espero que tudo volte ao normal logo, mas mesmo sem público os organizadores estão se reinventando com transmissões ao vivo pra realizar eventos”.