Coluna da Arte Suave: um recado aos lutadores mais ‘experientes’ que praticam Jiu-Jitsu; leia e opine

Publicidade

* Esse texto é dedicado para todos aqueles que lutam Jiu-Jitsu e a idade, em certo momento, começa a pesar. O acúmulo de lesões vai limitando certos movimentos e aquela explosão tão necessária naquele momento já não acontece como você gostaria. Na luta, o objetivo do atleta é submeter seu adversário, finalizar e sair vencedor. Sempre é bom, mas melhor ainda é vencer a si mesmo. 

Escrevo isso quando você, de repente, nota que é o lutador mais velho do seu treino. Quando ninguém precisa te dizer. Mas você repara que sua resistência já não é a mesma, seu aeróbico não é mais igual. Nesse momento, muitos param. Perder é ruim. Creio que ninguém gosta de perder, mas acredite, não perca para os seus pensamentos de desânimo. Pense: estou vencendo o meu adversário mais implacável, o tempo. Foque no mais importante, que é estar treinando, trocando força. Mudando sua estratégia, mas pense bem, você ainda está lutando, está saindo do treino com o quimono molhado de suor. Então vença a si mesmo. 

Pensando ainda por outro lado, você está lutando com lutadores que são 20, 30 anos mais novos. Quantos não gostariam de estar no seu lugar? E quantos que entraram com você para aprender Jiu-Jitsu hoje não tem nem mais um quimono? Enquanto isso você está indo treinar, mantendo o seu corpo em dia e cuidando da mente, porque a endorfina do treino é algo que só quem treina sabe. Inexplicável.

Confronte os parâmetros, idade e lesões que você já traz de tantas lutas. Nós, lutadores, vamos deixando pedaços do nosso corpo nos anos de lutas. Então pense, só de você estar treinando é algo excelente, fantástico. Melhor do que estar envelhecendo vendo TV e vivendo de lembranças. Para mim, não existe aquela expressão “no meu tempo”. O meu tempo é agora! Pegue seu quimono e vá treinar. Abstraia o ganhar e perder, não estou falando em luta de campeonato, quando tudo está equalizado: peso, idade e faixa. 

Eu estou falando de treinar, estar presente nos tatames. Certamente você só tem a ganhar. E a todo instante está mostrando aos mais jovens que a idade acaba chegando e chega para todos, na marcha inexorável do tempo. “Quem vence a si mesmo é invencível”, uma grande verdade escrita por Lao Tsé.

Eu treino na minha academia, tomo amasso, mas sempre saio feliz e endorfinado dos tatames. Na alegria, por estar treinando, e só de estar treinando já é tudo de bom. Eu acredito que só perco quando desisto. A luta não é com os outros, a luta é comigo mesmo. Que os professores e parceiros de treinos respeitem e equalizem suas forças com lutadores com mais tempo de vida. Lutar com guerreiros com mais idade, é uma honra que talvez poucos possam ter, pois não abandonaram o quimono e o tatame, seguem lá, prontos. 

Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Oss!

* Por Luiz Dias

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade