Ketleyn Quadros para na repescagem do Judô em Tóquio 2020; Abner avança no Boxe

Publicidade

Treze anos depois de conquistar a primeira medalha do Judô feminino brasileiro, em Pequim 2008, Ketleyn Quadros retornou ao tatame olímpico na madrugada de terça-feira (27). Em Tóquio, porém, a medalha não veio, mas Ketleyn deixou o tatame orgulhosa de sua trajetória. Ela venceu duas lutas – por ausência e outra por ippon -, mas caiu nas quartas e na repescagem. Assim, fechou a participação olímpica em sétimo lugar.

No Japão, a caminhada da brasileira começou com uma vitória inusitada em Olimpíadas, por fusen-gachi, que é o W.O. do Judô. Sua primeira adversária, Cergia David, de Honduras, foi hospitalizada na véspera da competição por problemas intestinais e não teve condições de lutar. Nas oitavas, Ketleyn fez um combate difícil com a mongol Ganchaik Bold e projetou a adversária duas vezes para avançar. Em seguida, encarou a canadense Catherine Beauchemin-Pinard, em combate tenso na disputa pela melhor pegada. Ketleyn vinha bem, mas acabou sendo projetada e imobilizada na sequência, o que deu a Pinard uma vaga na semifinal.

Com isso, a brasileira precisaria de uma vitória na repescagem contra a holandesa Jull Franssen para se garantir na disputa por um dos bronzes da categoria. Ketleyn começou o embate mais agressiva e forçou duas punições à holandesa, que recuperou-se na metade da luta e empatou as punições. Em seguida, Franssen acelerou o ritmo conseguindo imobilizar Ketleyn para vencer a repescagem e avançar pelo bronze.

No masculino, o Brasil foi representado pelo meio-médio Eduardo Yudy Santos, que teve logo na estreia o campeão mundial e número dois do ranking, Sagi Muki, de Israel. Yudy começou bem, com golpes de perna que desequilibraram Muki. No entanto, o israelense encaixou o golpe perfeito e venceu o combate.

Abner se aproxima de medalha no Boxe

O pugilista Abner Teixeira está nas quartas de final dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Se vencer sua próxima luta, contra Hussein Iashaish, da Jordânia, o brasileiro já terá pelo menos a medalha de bronze garantida – porque no Boxe os dois semifinalistas derrotados vão ao pódio. Na manhã de terça-feira (27) no Brasil, o atleta derrotou o britânico Clarke Cheavon por 4 a 1 na decisão dos juízes na categoria pesado (até 91kg).

 

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade