Demian Maia afirma ser contra duelos envolvendo atletas transgênero no MMA: ‘Acho um absurdo’

Publicidade

A repercussão envolvendo a luta de Alana McLaughlin – que se tornou a primeira atleta abertamente transgênero a competir MMA nos Estados Unidos desde 2014 – pelo evento Combate Global, realizado no último dia 10 de setembro, segue rendendo diversos comentários de fãs de artes marciais e até mesmo de lutadores. No confronto em questão, Alana, que tem 38 anos de idade e é ex-integrante das Forças Especiais do Exército dos EUA, levou a melhor sobre Celine Provost por finalização (mata-leão) no segundo round.

McLaughlin é apenas a segunda mulher transgênero a lutar MMA contra outra mulher (no Brasil, Anne Viriato fez história ao derrotar um homem) e dividiu opiniões. Quem deu um parecer sobre o assunto foi Demian Maia, que teve seu vínculo com o UFC encerrado recentemente. Em entrevista ao podcast “Inteligência Ltda”, o faixa-preta de Jiu-Jitsu se mostrou contrário à presença de atletas transexuais nas modalidades de combate, principalmente nos esportes femininos, que se caracteriza, basicamente, por uma pessoa que nasce homem e, posteriormente, realiza uma transição para ser mulher, competindo diante de mulheres.

“Eu acho um absurdo você colocar uma pessoa que nasceu homem para lutar com uma mulher. Eu vou falar do meu esporte, que é a luta. A pessoa (que lutar contra uma atleta trans) vai se machucar. Não tem comparação. ‘Ah, mas ela começou a tomar hormônio (feminino) cedo’. Não interessa. E não é nenhum preconceito, nada disso. Mas você tem que entender que para trabalhar na sociedade a questão do preconceito não é dessa maneira. Não é isso que vai fazer as pessoas terem mais ou menos preconceito. É muito claro que você não pode deixar isso acontecer. Uma coisa é um homem querer lutar com uma mulher e ela falar: ‘Beleza, eu quero lutar. A escolha é minha’. Agora, você obrigar uma mulher a lutar com uma pessoa transgênero, que nasceu homem, isso é um absurdo. Acho que só quem não está dentro do esporte aceita essa decisão, porque não tem noção do que é”, afirmou Demian, atualmente aos 43 anos.

O brasileiro, dono de uma trajetória repleta de bons momentos no UFC, também falou especificamente sobre o caso envolvendo Alana McLaughlin. Ele lamentou o fato de o combate ter acontecido e deu a entender que o evento Combate Global pode ter casado o duelo com a intenção de ganhar visibilidade e audiência.

“Infelizmente, me parece que pode até ser estratégia do evento para chamar a atenção, o que é uma coisa mais lamentável ainda. Você usar esse tipo de coisa para chamar atenção, ou para sinalizar virtude, que é ridículo. Eu ouvi uma vez um pensador falar uma coisa muito interessante: quando você quer ajudar as pessoas, você fala a verdade. Quando você quer se ajudar, você fala o que elas querem ouvir”, encerrou.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade