Durinho confirma presença no próximo BJJ Stars e opina sobre Belfort x Holyfield: ‘Tive medo’

Publicidade

Ex-desafiante ao cinturão dos meio-médios do UFC e um dos principais nomes do Brasil hoje no MMA, Gilbert Durinho esteve recentemente no Rio de Janeiro para a reinauguração da Alliance. O casca-grossa bateu um papo com o Canal do Marinho, comandado pelo jornalista Mario Filho, e em um dos temas abordados na primeira parte da entrevista, o lutador falou sobre o duelo de Boxe que terminou com o triunfo de Vitor Belfort sobre Evander Holyfield por nocaute técnico.

Confira + vídeos no Canal do Marinho, AQUI

Durinho disse que não concordou com o fato de a Comissão Atlética do Estado da Flórida ter liberado Holyfield, 58 anos, para lutar no evento do Triller Fight Club – após Oscar De La Hoya, adversário original do brasileiro, ter contraído Covid-19 e ser obrigado a deixar o card. Gilbert contou que, pelo fato de o americano apresentar tendências a “demência pugilística”, temeu pelo pior no combate e afirmou que o ex-campeão dos pesados não deveria mais lutar.

“Na verdade, eu queria ver o Vitor (Belfort) contra o Oscar De La Hoya, era a luta que mais fazia sentido. Risco altíssimo (para o Holyfield). Eu estava vendo aquela luta, vi o Vitor treinando e vi o cara (Holyfield) fazendo aquele treino aberto, pensei: nossa, tomara que não aconteça nada. E graças a Deus não aconteceu. Nos Estados Unidos a luta não foi tão bem vista assim”, comentou.

O faixa-preta de Jiu-Jitu também confirmou que estará na luta principal do próximo BJJ Stars, no dia 6 de novembro, e celebrou o importante desafio em seu retorno à arte suave: “Para o meu objetivo, que é ser campeão do UFC, estar com o Jiu-Jitsu afiado só ajuda nisso. Eu treino muito Jiu-Jitsu, hoje em dia muito mais sem quimono do que com quimono”, concluiu Durinho.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade